Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10162
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorCUNHA, A. C. B.
dc.date.accessioned2018-08-23T22:00:36Z-
dc.date.available2018-08-23
dc.date.available2018-08-23T22:00:36Z-
dc.identifier.citationFREITAS, L. M. M., A trajetória de um sonho: ansiedade e enfrentamento da infertilidade por casaispor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/10162-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleA trajetória de um sonho: ansiedade e enfrentamento da infertilidade por casaispor
dc.typemasterThesisen
dc.contributor.memberLOSS, A. B. M.
dc.contributor.memberROSA, E. M.
dc.contributor.memberPAULA, K. M. P.
dc.contributor.memberRAMOS, F. P.
dcterms.abstractO desejo de ter filhos faz parte do planejamento da maioria dos casais e pode ser motivo de grande frustração quando eles se deparam com a infertilidade. A Organização Mundial da Saúde considera um casal infértil quando a gravidez não ocorre após um ano de relação sexual regular e desprotegida. Diante desse problema, o casal procura por tratamento para alcançar seu desejo de engravidar, processo que, às vezes, pode ser longo, doloroso e estressante para o casal. O objetivo deste trabalho foi estudar o enfrentamento da infertilidade por casais, investigando as diferenças entre os membros do casal com base em indicadores de ansiedade, de enfrentamento (estratégias de coping1) e da percepção do estresse relacionado. Para tanto, foi adotado um delineamento descritivo exploratório, de caráter quanti-qualitativo com amostra de conveniência. Participaram da pesquisa 7 casais com diagnóstico de infertilidade de causa feminina e masculina, que declararam relação estável há pelo menos 2 anos. Todos responderam individualmente aos seguintes instrumentos de avaliação psicológica: a) IDATE, Inventário de Ansiedade Traço-Estado, que avalia indicadores de ansiedade traço e estado; b) Inventário COPE, que avalia estratégias de enfrentamento diante de situações de estresse; e c) Inventário de Problemas de Fertilidade (IPF), que avalia a percepção do casal do estresse relacionado à infertilidade. Além desses, todos os participantes responderam a um Protocolo de Caracterização do Perfil Psicossocial, elaborado para essa pesquisa, para a identificação de variáveis sociodemográficas e psicossociais relacionadas ao enfrentamento da infertilidade. Todos os dados foram analisados quantitativamente, em termos descritivos para os dados sociodemográficos e do perfil psicossocial dos casais, e em termos comparativos para os dados de ansiedade, enfrentamento e estresse entre mulheres e homens de cada casal. Os dados também foram analisados em termos qualitativos em estudos de caso dos casais, relacionando os dados sociodemográficos e do perfil psicossocial com os indicadores de ansiedade, enfrentamento e estresse. Observou-se que a idade média foi de 31 anos para as mulheres e de 33 anos para os homens, sendo que a média de tempo de união dos casais foi de 8,9 anos. Houve grande variação na renda familiar dos casais, entre os que faziam tratamento particular e os que faziam tratamento pela rede pública de saúde. Para grande parte dos casais, a infertilidade era de causa feminina e de conhecimento dos familiares; somente um casal tinha filhos. Apenas um membro dos casais entrevistados declarou não ter religião. Ansiedade moderada foi apresentada tanto por homens quanto por mulheres, ainda que a média das mulheres tenha sido maior para ambas as dimensões (traço e estado). Sobre o enfrentamento dos casais, a estratégia Religiosidade foi prevalente. A estratégia de enfrentamento Reinterpretação positiva também apresentou alta frequência entre homens e mulheres. Relacionado ao estresse percebido diante da infertilidade, enquanto as mulheres apresentaram um valor alto no fator Maternidade/paternidade, para os homens todos os fatores apresentaram-se moderados, exceto em Vida sem filhos, com baixo estresse. Pelos estudos de caso, pode-se perceber que variáveis como idade dos casais, ter filhos, praticar alguma religião e tempo de união pareceram se relacionar à ansiedade e ao estresse no processo de enfrentamento da infertilidade para ambas as partes do casal. Discutem-se possíveis diferenças entre os membros do casal, mulheres e homens, em termos das variáveis estudadas ansiedade, coping e a percepção de estresse , como forma de compreender o enfrentamento do casal diante dos problemas de infertilidade e o dilema de não conseguir engravidar.por
dcterms.creatorFREITAS, L. M. M.
dcterms.formatapplication/pdfpor
dcterms.issued2016-07-14
dcterms.subjectcopingpor
dcterms.subjectansiedadepor
dcterms.subjectestressepor
dcterms.subjectinfertilidadepor
dcterms.subjectcasalpor
dcterms.subjectpor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Psicologiapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Psicologiapor
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_8321_Dissertação final. ok revisado ok com comitêe.pdf1.98 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.