Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10192
Título: Efeito do treinamento de força sobre a morfologia do músculo esquelético de ratos obesos
Autor(es): Contreiro, Catarina Denise Entringer
Orientador: Ferreira, Lucas Guimarães
Data do documento: 21-Dez-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A obesidade é uma doença crônica multifatorial caracterizada pelo acúmulo de gordura no organismo, causando danos à saúde do indivíduo. O tratamento da obesidade varia de acordo com a gravidade da doença, no entanto, alimentação saudável com restrição calórica e atividade física são estratégias usadas nesse processo. Os efeitos benéficos da atividade física regular são relacionados com adaptações que ocorrem em diversos órgãos do corpo, dentre os quais o músculo esquelético. Os efeitos da obesidade na hipertrofia muscular esquelética induzida pelo treinamento de força não são bem compreendidos. Esclarecer os mecanismos de interação é fundamental para o desenvolvimento de novas abordagens no tratamento da obesidade. O objetivo do presente trabalho foi avaliar o efeito da obesidade associada ao treinamento de força na morfologia do músculo esquelético. Para tanto, 58 ratos Wistar machos foram randomizados em dois grupos: controle, alimentados com dieta padrão (C) e obeso, alimentados com dieta hiperlipídica (49,2% de gordura) (Ob). O protocolo experimental consistiu de 28 semanas, sendo dividido em três momentos: M1) indução à obesidade; M2) manutenção da obesidade e; M3) protocolo de treinamento de força. Após o período de manutenção da obesidade, os animais foram randomizados em mais dois grupos. Dessa forma, o estudo foi composto por quatro grupos: controle sedentário (CS), controle submetido ao protocolo de treinamento de força (CTF), obeso sedentário (ObS) e obeso submetido ao protocolo de treinamento de força (ObTF). O treinamento de força foi realizado em escada adaptada para ratos, 3 vezes por semana, durante 10 semanas. A dieta hiperlipídica foi eficiente para induzir os animais à obesidade na segunda semana do protocolo experimental, iniciando o período de exposição à obesidade. O peso dos músculos sóleo, tibial e FHL foram maiores no grupo ObTF em relação ao grupo CTF, entretanto o protocolo de treinamento não promoveu hipertrofia na área de secção transversa dos músculos FHL e plantar. O protocolo de treinamento utilizado foi eficiente para aumentar a força absoluta nos grupos treinados, mas a capacidade de produzir força parece ser prejudicada na obesidade quando avaliada a força relativa. Ao início do treinamento o grupo ObTF já apresentava menor força relativa em comparação ao grupo ObTF, essa diferença se manteve após o protocolo de treinamento. O treinamento foi eficiente para promover alterações positivas no peso corporal e acúmulo de gordura nos animais treinados. O ganho de peso corporal foi menor nos grupos submetidos ao treinamento de força em comparação aos grupos sedentários (ObTF vs ObS; CTF vs CS). O grupo ObTF apresentou menor gordura corporal total e índice de adiposidade em relação ao grupo ObS.
Obesity is a chronic multifactorial disease characterized by accumulation of fat in the body, causing damage to the health of the individual. The treatment of obesity varies according to the severity of the disease, however, healthy eating with caloric restriction and physical activity are strategies used in this process. The beneficial effects of regular physical activity are related to adaptations that occur in various organs of the body, including skeletal muscle. The effects of obesity on skeletal muscle hypertrophy induced by strength training are not well understood. Clarifying the interaction mechanisms is fundamental for the development of new approaches in the treatment of obesity. The objective of the present study was to evaluate the effect of obesity associated with strength training on skeletal muscle morphology. For this, 58 male Wistar rats were randomized into two groups: control, fed standard diet (C), and obese, fed a high fat diet (49.2% fat) (Ob). The experimental protocol consisted of 28 weeks, being divided into three moments: M1) induction to obesity; M2) maintenance of obesity and; M3) strength training protocol. After the maintenance of obesity period, the animals were randomized into two new groups. Thus, the study was composed of four groups: sedentary control (CS), control submitted to the strength training protocol (CTF), obese sedentary (ObS) and obese submitted to strength training protocol (ObTF). Strength training was performed on a mouse ladder 3 times a week for 10 weeks. The hyperlipid diet was efficient to induce animals to obesity in the second week of the experimental protocol, initiating the period of exposure to obesity. The weight of the soleus, tibial and FHL muscles were higher in the ObTF group compared to the CTF group, however the training protocol did not promote hypertrophy in the cross-sectional area of the FHL and plantar muscles.The training protocol used was efficient to increase the absolute strength in the trained groups, but the capacity to produce strength seems to be impaired in obesity when relative strength was evaluated. At the beginning of the training, the ObTF group already had lower relative strength compared to the ObTF group, this difference was maintained after the training protocol. The training was efficient to promote positive changes in body weight and accumulation of fat in trained animals. Body weight gain was lower in the groups submitted to strength 23 training compared to sedentary groups (ObTF vs ObS, CTF vs CS). The ObTF group presented lower total body fat and adiposity index in relation to the ObS group.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10192
Aparece nas coleções:PPGNS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_11591_Dissertação VERSÃO FINAL (1).pdf
  Restricted Access
846.71 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.