Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10198
Título: Consumo alimentar e fatores associados : um estudo em bancários
Autor(es): Cattafesta, Monica
Orientador: Salaroli, Luciane Bresciani
Palavras-chave: Padrões alimentares
Consumo alimentar
Condições de saúde
Categoria de trabalhadores
Bancários
Feeding behavior
Food consumption
Workers
Occupational health
Health status
Occupational groups
Bank employees
Data do documento: 4-Mai-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O consumo alimentar e os hábitos de vida de trabalhadores são relevantes à capacidade produtiva devido a possibilidade de diminuir a incidência de doenças. Entretanto, estudos que avaliam este aspecto são escassos na literatura científica. Dessa forma, o objetivo desta dissertação foi avaliar o consumo alimentar de um grupo de bancários e a associação com fatores socioeconômicos, comportamentais, laborais e da condição de saúde. Trata-se de um estudo observacional e transversal com funcionários de uma rede bancária da Grande Vitória/ES/BR. Foi aplicado um Questionário de Frequência Alimentar semiquantitativo, no qual empregou-se a análise de componentes principais com rotação varimax para determinação dos padrões alimentares. Foram identificados três padrões alimentares: “hortaliças, frutas, cereais e tubérculos”, “doces e petiscos” e “tradicional e proteico”. O primeiro padrão associou-se positivamente com hábito de raramente trocar o almoço por lanche, usar adoçante, fazer cinco ou mais refeições ao dia e não consumir temperos industrializados. Também foi fator protetor para a obesidade abdominal, para a Síndrome Metabólica (SM) e para a elevação da Proteína C reativa ultrassensível (PCR-us). Já os padrões “doces e petiscos” e “tradicional e proteico” mostraram associações inversas às encontradas no padrão mais saudável. O padrão “doces e petiscos” também se associou diretamente ao hábito de trocar o almoço por lanche de 1 a 4 vezes na semana, comer em restaurante de 1 a 3 vezes ao dia, não usar adoçante, usar o saleiro à mesa, usar temperos industrializados e ter escolaridade mais elevada. O padrão alimentar “tradicional e proteico” esteve associado ao fato de realizar quatro ou menos refeições ao dia, não usar adoçantes, usar temperos industrializados e receber alto apoio social, além de ser fator de risco para hipertrigliceridemia. Conclui-se, portanto, que o consumo alimentar de bancários está relacionado, principalmente, ao estilo de vida destes indivíduos. Além disso, uma alimentação saudável, representada pelo padrão “hortaliças, frutas, cereais e tubérculos”, esteve associada a uma melhor condição de saúde, especialmente ao se avaliar complicações metabólicas concorrentes, como na presença de obesidade abdominal, SM e alterações da PCR-us. Em contraste, o padrão “tradicional e proteico”, rico em alimentos processados, mostrou-se um fator de risco para o desenvolvimento de hipertrigliceridemia.
Food consumption and living habits of workers are relevant to productive capacity due to the possibility of reducing the incidence of diseases. However, studies evaluating food intake in these conditions are scarce in the scientific literature. Thus, the objective of this dissertation was to evaluate the food consumption of a group of bank employees, and the association with socioeconomic, behavioral, labor and health condition factors. This is an observational and cross-sectional study with employees of a banking network in Grande Vitória/ES/BR. A semiquantitative Food Frequency Questionnaire was applied, in which, the analysis of main components with varimax rotation was used to determine the dietary patterns. Three food patterns were identified: “vegetables, fruits, cereals and tubers”, “sweets and snacks” and “traditional and protein”. The first pattern was positively associated with the habit of rarely exchanging lunch for snack, to make five or more meals a day, and not consuming industrialized seasoning. It was also a protective factor for abdominal obesity, Metabolic Syndrome (MS) and elevation of the ultra-sensitive C-reactive Protein (CRP-us). On the other hand, the patterns “sweets and snacks” and “traditional and protein” showed associations inverse to those found in the healthier pattern. The “sweets and snacks” pattern was also directly associated with the habit of changing lunch for 1 to 4 times a week, eating in a restaurant 1 to 3 times a day, not using sweetener, using salt shaker at the table, using industrialized seasonings and to have higher education. The “traditional and protein” dietary pattern was associated with to have four or fewer meals a day, not using sweeteners, using industrialized seasoning and to receive high social support, besides being a risk factor for hypertriglyceridemia. It is concluded, therefore, that the food consumption of bank employees is mainly related to the life style of these individuals. In addition, a healthy diet, represented by the “vegetables, fruits, cereals and tubers” pattern, was associated with a better health condition, especially when evaluating competing metabolic complications, such as in the presence of abdominal obesity, MS, and changes in us-CRP. In contrast, the "traditional and protein" pattern, rich in processed foods, has been shown to be a risk factor for the development of hypertriglyceridemia.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10198
Aparece nas coleções:PPGNS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_9355_Dissertação - Monica Cattafesta - FINAL20170808-132510.pdf
  Restricted Access
1.81 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.