Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10343
Título: Gênero, discurso e poder em três traduções brasileiras de Um Bonde Chamado Desejo
Autor(es): Magalhães, Micaela Rodrigues de Souza Fraga de
Orientador: Almeida, Júlia Maria Costa de
Coorientador: Ferraz, Daniel
Data do documento: 31-Ago-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A Sreetcar Named Desire, peça escrita por Tennessee Williams, é considerada um dos maiores cânones do teatro americano. Seu texto foi amplamente encenado, adaptado, traduzido e comumente é citado em obras audiovisuais da cultura de massa. No Brasil essa obra, que possui dois originais em inglês, foi traduzida por Pedreira (1976), Nikitin (2004) e Viégas-Faria (2008). Esta pesquisa pretende elaborar, por meio de uma abordagem interdisciplinar fundamentada nos Estudos Linguísticos e nos Estudos da Tradução, uma análise comparativa da construção da personagem Blanche DuBois nessas traduções. Destacando-se as marcas discursivas em um corpus de excertos da didascálias e das falas de personagens, analisar-se-á como Blanche DuBois é representada como mulher que se afasta das convenções sociais que supostamente deveria seguir. A comparação desses excertos das traduções utilizará como principal ferramenta o modelo sociocognitivo de van Dijk (2010, 2012a, 2012b, 2012c), que considera a relação existente entre sociedade, cognição e discurso ao construir suas categorias de análise. Ao propor uma investigação que considera a dimensão social da linguagem, assim como os aspectos individuais que influenciam a relação existente entre produção e recepção de um texto, encontramos ferramentas que contribuem para explicar as diferenças estruturais e, consequentemente, as possíveis diferenças ideológicas a serem investigadas nas traduções da obra de Williams em território nacional. Por fim, conclui-se que o discurso literário, assim como o discurso político ou publicitário, pode ser considerado um terreno profícuo para a análise das cargas ideológicas presentes nas enunciações dos atores sociais que participam de sua produção. A arte, assim como a tradução, não é ideologicamente neutra, e a imagem da mulher retradada nos romances e peças teatrais escritas por homens muito tem a dizer sobre a construção de estereótipos que limitam a existência feminina.
A Streetcar Named Desire, a play written by Tennessee Williams, is considered one of the most important canons in the history of American Theater. His text was broadly played, adapted, translated and is frequently quoted in mainstream audiovisual works. In Brazil, the play - with two original texts in English - was translated by Pedreira (1976), Nikitin (2004), and ViégasFaria (2008). Through an interdisciplinary approach based on Language Studies and on Translation Studies, this research aims to elaborate a comparative analysis on the construction of the character Blanche DuBois in both translations. Focusing on discoursive marks related to the female discourse, it will analyze the ways in which this character diverges from social conventions that she was expected to follow as a woman, and her incessant pursuit to reconfigure herself - from the perspective of each translation. The study will rely on the analytical tools provided by the sociocognitive model of van Dijk (2010, 2012a, 2012b, 2012c), which considers the relation among society, cognition and discourse when creating its analysis categories. An investigation that accounts for the social dimension of language as well as the individual aspects that influence the existing relation between text production and reception, provides us with tools that contribute to explaining the structural differences, therefore the possible ideological differences, to be investigated in the translations of Williams’ work in our country. Finally, it is then concluded that the literary discourse, as the political or advertising ones, can be considered a conducive environment for the analysis of ideologies present in the enunciation of the social actors and actresses who take part in his production. Art, as in translation, is not ideologically neutral, and the image of the woman depicted in novels and plays written by men have a lot to say regarding the construction of stereotypes that hamper the feminine existence.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10343
Aparece nas coleções:PPGEL - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_11287_Dissertação - versão final (3).pdf1.03 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.