Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10472
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorFALQUETO, A. R.
dc.creatorSANTOS, E. R.
dc.date.accessioned2018-09-21T14:18:49Z-
dc.date.available2018-09-21
dc.date.available2018-09-21T14:18:49Z-
dc.date.issued2018-07-30
dc.identifier.citationSANTOS, E. R., Respostas Fisiológicas e Anatômicas de Billbergia Zebrina Lindl. (bromeliaceae) em Função de Fontes e Concentrações de Carboidratos Durante o Cultivo In Vitro Convencionalpor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/10472-
dc.description.abstractRESUMO Quando propagados in vitro, os explantes recebem todos os nutrientes necessários para o seu crescimento, incluindo a fonte de carboidrato através do meio de cultura. No entanto, não é bem entendido como a fonte e a concentração de carboidrato podem afetar a funcionalidade do aparelho fotossintético (principalmente do fotossistema-FSII) dessas plantas. O objetivo deste estudo foi avaliar as respostas fisiológicas e anatômicas de Billbergia zebrina lindl. (Bromeliaceae) em função de fontes e concentrações de carboidratos durante o cultivo in vitro. Brotos laterais de plantas previamente estabelecidas e multiplicadas in vitro foram individualizados e transferidos para frascos de 268 mL com 50 mL de meio MS contendo frutose, glicose e sacarose em quatro concentrações (0, 15, 30 e 45 g L-1). Após 55 dias de cultivo, foi avaliada a fluorescência transiente da clorofila a, a análise anatômica da folha e a análise de crescimento. As condições in vitro influenciaram o desempenho fotossintético e anatômico de plantas de Billbergia zebrina. A concentração e o tipo de carboidrato empregado durante o cultivo in vitro não diminui o desempenho do aparato fotossintético. No entanto concentrações acima de 30 g L-1 levam a modificações morfológicas ou anatômicas que mostram algum grau de estresse nas plantas. Quando cultivadas nas concentrações de 15 e 30 g L-1 independente do carboidrato utilizado as plantas apresentaram maior densidade estomática. A suplementação do meio de cultura com monossacarídeos provocou alterações no desenvolvimento dos vasos do xilema, como o aumento no número e no diâmetro dos vasos, permitindo a adequação às condições microambientais. O intervalo de concentração entre 15 e 30 g L-1 de sacarose pode ter efeito levemente melhor por não acarretar grandes mudanças no desempenho do aparato fotossintético e na anatomia das plantas. Palavras-chave: Anatomia bromélia carboidratos fluorescência.por
dc.formatapplication/pdfpor
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleRespostas Fisiológicas e Anatômicas de Billbergia Zebrina Lindl. (bromeliaceae) em Função de Fontes e Concentrações de Carboidratos Durante o Cultivo In Vitro Convencionalpor
dc.typemasterThesisen
dc.contributor.advisorcoMARTINS, J. P. R.
dc.contributor.memberAOYAMA, E. M.
dc.contributor.memberSCHMILDT, E. R.
dc.contributor.memberSILVA, D. M.
dc.contributor.memberMENEZES, L. F. T.
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Biologia Vegetalpor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMESTRADO EM BIOLOGIA VEGETALpor
Appears in Collections:PPGBV - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_12331_DISSERTAÇÃO versão final-ELIZANGELA RODRIGUES.pdf2.22 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.