Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10539
Title: Alcaloides dos Bulbos das Espécies Griffinia gardneriana (Herb.) Ravenna e Habranthus itaobinus Ravenna (Amaryllidaceae): Perfil Químico e Propriedades Citotóxicas e Genotóxicas.
metadata.dc.creator: COLE, E. R.
Issue Date: 23-Aug-2018
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: COLE, E. R., Alcaloides dos Bulbos das Espécies Griffinia gardneriana (Herb.) Ravenna e Habranthus itaobinus Ravenna (Amaryllidaceae): Perfil Químico e Propriedades Citotóxicas e Genotóxicas.
Abstract: A família Amaryllidaceae é amplamente distribuída pelo globo terrestre, sendo considerada uma das 20 famílias mais importantes entre as que apresentam alcaloides em sua composição, exibindo atividades antiviral, antimalárica, anticâncer e anticolinesterásica, dentre outras. Este trabalho objetiva realizar o estudo químico de alcaloides dos bulbos das espécies Griffinia gardneriana e Habranthus itaobinus, pertencentes à família Amaryllidaceae, avaliar suas propriedades citotóxicas e genotóxicas e o papel da caspase-3 como mediador molecular da apoptose induzida por estes compostos. As frações enriquecidas em alcaloides obtidas dos bulbos de G. gardneriana e H. itaobinus foram inicialmente submetidas à análise por cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massas (CG-EM) e em seguida fracionadas através de diferentes técnicas cromatográficas, como cromatografia por exclusão molecular, cromatografia em coluna e cromatografia em camada delgada preparativa, sendo o isolamento e identificação dos alcaloides feito por meio de cromatografia líquida de alta eficiência e ressonância magnética nuclear mono e bidimensional, além de dicroísmo circular. Foram então desenvolvidos estudos para avaliar a citotoxicidade das frações enriquecidas, pelo método do MTT, utilizando as linhagens celulares OVCAR-3, J774 e L929, sendo determinada também a citotoxicidade e a genotoxicidade in vitro dos alcaloides isolados (através do ensaio do MTT e do teste do micronúcleo) e a ativação da apoptose pela via da caspase, utilizando linhagens celulares tumorais (HepG2, MCF-7, A549) e normais (L929, CHO-1-15). Estudos de docking molecular foram realizados para avaliar as energias livres de ligação entre os alcaloides isolados com a proteína caspase-3, descrita na literatura como o provável sítio de ação destes compostos, sendo também calculada a constante de inibição téorica, Ki. O resultado da CG-EM das frações enriquecidas evidenciou a presença de apenas um alcaloide em G. gardneriana e cinco em H. itaobinus. Foram isolados sete alcaloides, pertencentes a diferentes esqueletos-tipo, todos já devidamente caracterizados na literatura, sendo alguns comuns às duas espécies (trisfaeridina e pretazetina), enquanto outros presentes apenas em G. gardneriana (licorina e sanguinina) ou em H. itaobinus (tazetina, 11-hidroxivitatina e 2-α-7- dimetoxihomolicorina). Todas as frações enriquecidas apresentaram ação citotóxica nos métodos testados, e no tocante aos alcaloides isolados, 11-hidroxivitatina e 2-α- 7-dimetoxihomocolorina não se mostraram citotóxicos, enquanto tazetina, trisfaeridina e sanguinina apresentaram atividade apenas contra a linhagem fibroblástica. Licorina e pretazetina foram 10 a 30 vezes mais citotóxicas que os demais alcaloides, mostrando-se ativas também para as linhagens cancerosas, exibindo ação tempo- e concentração-dependente, além de serem genotóxicas e capazes de promover apoptose pela via da caspase-3. Tal resultado corrobora os dados obtidos nos estudos de docking em que esses dois compostos se apresentaram entre aqueles com os maiores valores de afinidade de ligação.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10539
Appears in Collections:PPGQUI - Teses de doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Eduardo Roberto Cole.pdf7.44 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.