Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10575
Título: Análise da expressão de potenciais inflamassomas envolvidos na quimiorresistência adquirida à cisplatina em modelo in vitro de câncer de ovário seroso de alto grau
Autor(es): SILVA, A. M. R.
Orientador: RANGEL, L. B. A.
Data do documento: 8-Out-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SILVA, A. M. R., Análise da expressão de potenciais inflamassomas envolvidos na quimiorresistência adquirida à cisplatina em modelo in vitro de câncer de ovário seroso de alto grau
Resumo: O carcinoma de ovário seroso de alto grau (COS-AG) é a causa mais frequente de mortes entre malignidades ginecológicas. Devido ao seu desenvolvimento assintomático bem como à falta de métodos de triagem sensíveis e específicos, a doença é frequentemente diagnosticada em estadios avançados e incuráveis. Embora os tumores usualmente respondam bem à quimioterapia de primeira linha baseada em compostos de platina e taxanos, a maioria dos pacientes desenvolve recidiva e quimiorresistência. A inflamação desempenha um papel na iniciação e desenvolvimento de muitos tipos de cânceres, incluindo o COS-AG. Recentemente, complexos proteicos componentes do sistema imune inato, denominados inflamassomas, tem sido associado aos mecanismos de progressão e metástase de neoplasias, entretanto, o papel na quimiorresistência é pouco explorado. Nesse estudo, investigamos o significado clínico dos inflamassomas na modulação do fenótipo quimiorresistente em modelo de linhagem resistente à cisplatina (ACRP) a partir da linhagem parental de COS-AG (A2780), por RT-PCR e western blot. Nossos resultados mostraram que, embora a expressão do transcrito NLRP3 permaneça inalterada na linhagem resistente, a expressão proteica parece ser alterada de forma dose-dependente com o tratamento de cisplatina, contudo não configura ser o evento principal na quimiorresistência. Adicionalmente, verificou-se expressão aumentada do transcrito NLRP1 na linhagem ACRP, mas não de NLRC4. Em suma, nosso estudo foi o primeiro a demonstrar a relevância do inflamassoma NLRP1 no desenvolvimento e regulação da resistência à cisplatina em células de COS-AG, tornando-o alvo atraente com grande potencial terapêutico contra a doença. Palavras chaves: Câncer de ovário epitelial, inflamassomas, quimiorresistência, cisplatina.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10575
Aparece nas coleções:PPGBF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10923_Dissertação Final - Ana Maria Rodrigues da Silva.pdf1.47 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.