Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10587
Título: Avaliação das condições dentárias e periodontais de alcoolistas e não alcoolistas
Autor(es): Sossai, Lorena Lirio
Orientador: Guerra, Selva Maria Gonçalves
Coorientador: Feitosa, Alfredo Carlos Rodrigues
Data do documento: 16-Jul-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SOSSAI, Lorena Lirio. Avaliação das condições dentárias e periodontais de alcoolistas e não alcoolistas. 2018. 69 f. Dissertação (Mestrado em Clínica Odontológica) - Universidade Federal Do Espírito Santo, Centro de Ciências da Saúde.
Resumo: O abuso ou dependência de álcool é um fator de risco importante para muitas doenças e incapacidades. Seu uso crônico é irritante para a mucosa e está relacionado a piores condições bucais. Porém, poucos de não alcoolistas. Este estudo observacional transversal incluiu 60 indivíduos do sexo masculino, com idades entre 32 e 72 anos, sendo 30 alcoolistas, assistidos no Programa de estudos avaliam a saúde bucal de dependentes de álcool. O objetivo deste trabalho é avaliar a condição dental e periodontal de alcoolistas e compará-las com a condição dental e periodontal Atendimento ao Alcoolista do Hospital Universitário Cassiano de Moraes e 30 não alcoolistas atendidos no Núcleo de Periodontia da Universidade Federal do Espírito Santo. Estes foram submetidos à entrevista e a exames clínicos. A análise estatística foi caracterizada por meio de frequência, porcentagem, média, desvio padrão, regressão logística múltipla e pelos testes Qui-quadrado e t- Student. O nível alfa de significância utilizado em todas as análises foi de 5% com intervalo de confiança de 95%. A frequência de escovação dental diária mais prevalente no grupo de alcoolistas foi de duas vezes ao dia (43,33%) e no grupo de não alcoolistas de três vezes ao dia (56,67%). O uso de fio dental no grupo de alcoolistas foi observado em 36,67%, enquanto no grupo de não alcoolistas foi de 73,33%. As condições de saúde dental e periodontal foram associadas à higienização e ao acompanhamento profissional. Os indivíduos sem acompanhamento odontológico apresentaram mais que o dobro de problemas dentais àqueles que tinham acompanhamento. A quantidade de bebida ingerida não teve influência sobre os problemas dentais e periodontais, mas o tempo de uso do álcool mostrou influência, a saber, quanto maior o tempo de uso do álcool maior à chance do indivíduo ter cárie e doença periodontal. Os indivíduos alcoolistas apresentaram maior prevalência de cárie, menor quantidade de sítios com doença periodontal e pior higiene bucal do que indivíduos não alcoolistas. Quanto ao acompanhamento profissional houve similaridade entre os grupos avaliados.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10587
Aparece nas coleções:PPGCO - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_12349_Dissertação de Mestrado Lorena Lírio Sossai.pdf810.16 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.