Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10591
Título: MANEJO FLORAL NA MANGUEIRA 'UBÁ' NO NORTE DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
Autor(es): OLMO, B. T.
Orientador: ZUCOLOTO, M.
Palavras-chave: paclobutrazol
desponte dos ramos
fitohormônio
Data do documento: 24-Mai-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: OLMO, B. T., MANEJO FLORAL NA MANGUEIRA 'UBÁ' NO NORTE DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
Resumo: A mangueira é uma das culturas que tem apresentado enorme potencial de expansão no Espírito Santo (ES). Além disso, existe uma grande demanda das indústrias de sucos e processamento de polpa por frutos da mangueira Ubá. Todavia, são poucas tecnologias desenvolvidas para seu manejo. Desta forma, objetivou-se avaliar a resposta da utilização de diferentes concentrações de paclobutrazol combinados com desponte (ou não) dos ramos, nas características vegetativas, florescimento, frutificação e qualidade dos frutos de mangueiras Ubá. O experimento foi conduzido durante as safras agrícolas de 2015/2016 e 2016/2017, em lavoura comercial, na cidade de Colatina-ES, no esquema fatorial (2 x 5) + 1, sendo o primeiro fator o desponte (com ou sem) dos ramos (DR) e o segundo, cinco concentrações de paclobutrazol (cPBZ). Na safra agrícola de 2015/2016 aplicou-se concentrações de 0; 0,5; 1,0; 1,5; 2,0 gramas de ingrediente ativo por metro linear de copa (g.m-1 linear de copa). No ano agrícola de 2017, usou-se 60% das concentrações do ano anterior (0; 0,3; 0,6; 0,9 e 1,2 g.m-1 linear de copa). A fonte do princípio ativo usada foi o Cultar® 250 SC. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com quatro repetições, sendo uma planta por parcela. Em cada bloco foi acrescentado uma testemunha que não foi submetida a nenhum dos tratamentos descritos. Para as características vegetativas foram analisados os efeitos dos tratamentos no comprimento (CRV) e diâmetro dos ramos vegetativos (DRV). Na florada avaliou-se o número de panículas por ramo (NPR), comprimento das panículas (CP) e o número de frutos por ramo (NFR). Por fim, na colheita foram avaliadas as características físicas: número de frutos por planta (NFP), massa dos frutos (MF), produtividade (PROD), comprimento dos frutos (CF), diâmetro dos frutos (DF), rendimento de polpa (RP), ângulo hueda casca (HC), ângulo hue da polpa (HP) e firmeza dos frutos (Fz). Ainda, as características químicas dos frutos, sendo: pH, sólidos solúveis (SS), acidez titulável (AT), razão entre sólidos solúveis e acidez titulável (SS/AT). Nas duas safras agrícolas avaliadas foram observadas diferenças significativas na comparação do fatorial com a testemunha, nas variáveis: NFR, MF, CF, DF, RP e SS/AT. Para a interação (DR x cPBZ) foi observado diferença significativa para a variável, RP. Para as demais avaliações, os fatores foram estudados isoladamente. Para o fator DR houve diferença significativa nas variáveis: CP, NFR, CF, RP, HC, Fz, pH, SS, AT e SS/AT. Para o segundo fator (cPBZ) notou-se significância nas variáveis: CRV, DRV, PROD, MF, CF,RP, pH, AT e SS/AT. Portanto, observou-se que o uso de reguladores vegetais diminuiu o crescimento vegetativo dos ramos. O desponte dos ramos estimulou as gemas laterais, homogeneizou os ramos reprodutivos e aumentou o número de frutos por ramo. Ainda, o desponte dos ramos e as concentrações de PBZ alteraram as características físicas do fruto.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10591
Aparece nas coleções:PPGAT - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11775_93 - Bernardo Torres Olmo.pdf1.42 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.