Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10966
Title: Ângulo de fase e índices de prognóstico inflamatório e nutricional em mulheres submetidas à cirurgia bariátrica
metadata.dcterms.creator: KOEHLER, K. B.
metadata.dcterms.issued: 23-May-2018
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
metadata.dcterms.abstract: Introdução: a cirurgia bariátrica é indicada como tratamento para obesidade grave, e a avaliação nutricional nos primeiros seis meses pós-cirurgia é imprescindível, visto a aguda perda de peso que pode ocorrer nesse período. O ângulo de fase (AF) é um indicador de estado nutricional e prognóstico, e os índices de prognóstico inflamatório e nutricional têm sido utilizados para avaliação de pacientes em diversas situações clínicas. A relação entre AF e índices de prognóstico inflamatório e nutricional é pouco conhecida, especialmente em pacientes bariátricos. Objetivou-se avaliar o AF e sua correlação com índices de prognóstico inflamatório e nutricional em mulheres submetidas à gastroplastia redutora com desvio intestinal em Y de Roux. Métodos: o estudo foi realizado com pacientes do sexo feminino do Programa de Cirurgia Bariátrica e Metabólica do Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes. Elas foram avaliadas em três momentos: aproximadamente um mês antes da cirurgia (M0) e aproximadamente no 2º (M1) e 6º (M2) meses após a cirurgia. Foram avaliados os seguintes parâmetros: peso corporal, altura, índice de massa corporal (IMC), AF, concentrações séricas de pré-albumina, albumina, proteína C-reativa (PCR) e alfa-1-glicoproteína ácida (α1-GA), a relação PCR/albumina e o Índice de Prognóstico Inflamatório e Nutricional (IPIN). Os dados foram analisados utilizando o teste de normalidade de Shapiro-Wilk, teste de ANOVA uma via para medidas repetidas com post hoc de Sidak e correlações de Pearson ou Spearman, conforme a natureza dos dados. Resultados: o peso corporal e o IMC diminuíram significativamente ao longo dos períodos avaliados (p<0,05). O AF apresentou redução significativa ao longo dos períodos avaliados, sendo que os valores em M1 e M2 diferiram de M0. As concentrações séricas de pré-albumina, PCR e α1-GA reduziram significativamente ao longo dos momentos, sendo que as concentrações em M1 e M2 diferiram de M0 (p<0,05). A relação PCR/albumina apresentou redução significativa ao longo dos momentos, sendo M1 e M2 diferentes de M0 (p<0,05). O IPIN não acusou alterações estatisticamente significativas, mas indicou mudança na classificação de baixo risco de complicações para sem infecção/inflamação, demonstrando melhora do prognóstico dessas pacientes. Houve correlação muito forte entre o IPIN e a relação PCR/albumina (r=0,96, p<0,001). Não houve correlação significativa entre AF e os índices de prognóstico, entretanto, observou-se correlação forte direta entre o AF e as concentrações séricas de pré-albumina (r=0,633, p<0,01), que se manteve moderada em M0 (r=0,55, p=0,01) e M1 (r=0,57, p<0,01), o que sugere o uso do AF como indicador do estado nutricional durante o período perioperatório de mulheres submetidas à GRDYR. Conclusão: ocorreram redução do AF e melhora do prognóstico inflamatório e nutricional. O AF não se correlacionou com a melhora do prognóstico indicada pelos índices, entretanto, a forte correlação do AF com as concentrações séricas de pré-albumina sugere sua aplicabilidade na avaliação do risco nutricional após a GRDYR e reforça sua utilização como ferramenta alternativa para avaliação do estado nutricional. Palavras-chave: Obesidade. Derivação Gástrica. Impedância Elétrica.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10966
Appears in Collections:PPGNS - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_12909_Dissertação Kymberle - 28.08.18 - PRONTO20190321-80154.pdf1.42 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.