Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10968
Título: CARACTERIZAÇÃO da Populacão do Estado do Espirito Santo para Análises Forenses de Y-strs
Autor(es): STANGE, V. S.
Orientador: LOURO, I. D.
Palavras-chave: Haplótipos Y-STR
Estado do Espirito Santo
pomeranos
Data do documento: 7-Jan-2019
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: STANGE, V. S., CARACTERIZAÇÃO da Populacão do Estado do Espirito Santo para Análises Forenses de Y-strs
Resumo: O Estado do Espirito Santo foi historicamente marcado por diversos influxos migratórios desde 1535, e isso afetou diretamente a demografia da sua população. A falta de dados e uma quantidade limitada de haplótipos publicados para caracterizar a população atual do Espirito Santo, especialmente quando se trata de Y-STRs, incentivaram a realização deste estudo. Através da identificação genética de uma amostra cerca de 5 vezes maior do que a amostra disponível no banco de dados para estudos forenses de vínculo de parentesco e investigação criminal, utilizaram-se os 27 loci Y-STR presentes no kit Yfiler Plus® para realizar inferências nas 409 amostras coletadas no Estado, divididas em quatro macrorregiões. Testes estatísticos populacionais (FST, RST e Análise de Variancia Molecular- AMOVA) foram realizados para medir as distâncias genéticas entre os indivíduos e possíveis subpopulações. Apesar das amostras da população geral do ES não apresentarem diferenças genéticas nas quatro macrorregiões analisadas, nem quando comparadas às outras populações brasileiras, foi encontrada no trabalho uma subpopulação de descendentes da Pomerânia que apresentou perfil genético significativamente diferente das subpopulações vizinhas e até mesmo da subpopulação não pomerana do ES (variação de 2,32% em AMOVA). A análise das distâncias genéticas mostrou grande proximidade da subpopulação pomerana com os europeus (alemães e poloneses), enquanto que a população geral do ES mostrou-se mais próxima de outras populações brasileiras. Observou-se que a população pomerana é geneticamente muito mais próxima dos europeus da Alemanha e mais semelhante à população polonesa do que a própria população alemã, demonstrando a influência dos imigrantes na composição da população do ES. Sugere-se a adoção de um banco de dados específico para a comunidade pomerana ou a utilização de fatores estatísticos de correção para a estrutura dessa subpopulação quando forem realizadas análises forenses envolvendo este grupo.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10968
Aparece nas coleções:PPGBIO - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_13077_Tese - Victor Santos Stange.pdf2.72 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.