Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11406
Title: Relação do fluxo de íons (H+) em raízes com as atividades alelopáticas e mutagênicas do extrato etanólico e da nanodispersão de Mikania glomerata Spreng.
metadata.dc.creator: BARCELOS, M. E. F.
Issue Date: 19-Feb-2019
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: BARCELOS, M. E. F., Relação do fluxo de íons (H+) em raízes com as atividades alelopáticas e mutagênicas do extrato etanólico e da nanodispersão de Mikania glomerata Spreng.
Abstract: RESUMO A Mikania glomerata Spreng é uma espécie muito estudada sobre o aspecto etnofarmacológico e produção de compostos secundários, como as cumarinas. Esses compostos vêm sendo associados ao uso de nanopartículas as quais são utilizadas para associar compostos ativos vegetais, pouco solúveis, aumentando mais a biodisponibilidade desses. Assim, o presente trabalho tem como objetivo avaliar a capacidade iônica do extrato e nanodispersão do teor de cumarina (0,001; 0,002; 0,004; 0,008 e 0,016 mg/mL) de Mikania, relacionando essa capacidade com uma potencial atividade alelopática e mutagênica em raízes de Lactuca sativa e Allium cepa. O fluxo de H+ foi determinado na zona de alongamento das raízes, usando sistema vibratório de íons seletivos. A atividade alelopática foi avaliada por meio de ensaio de germinação. Após sua protrusão, as raízes foram fotografadas e analisadas em software ImageJ. Para avaliar a atividade mutagênica, as sementes foram germinadas em placas de Petri em triplicata e receberam 5mL de extrato de Mikania nas mesmas concentrações utilizadas para a nanodispersão, além dos grupos: cumarina pura 0,002 mg/mL (CuP); controle positivo metilmetanosulfonado a 4x10-4M (MMS) - como controle positivo - e o controle negativo (água destilada). Após a protrusão das raízes, foram confeccionadas lâminas para análise do índice mitótico e possíveis anomalias cromossômicas. Os dados obtidos foram submetidos à ANOVA e teste de médias (p<0,05). O fluxo de H+ , na curva dose-resposta, apontou a concentração de 0,002 mg/mL, sendo a melhor concentração para comparação aos demais tratamentos. Foi possível, também, observar que todos os tratamentos promoveram inibição do fluxo de H+ , quando comparados ao controle negativo. De forma similar, foi encontrado no fluxo de teores de cumarina em nanodispersão, em que foi possível evidenciar uma oscilação, de acordo com as concentrações analisadas. Esse resultado pode estar relacionado à inibição da germinação de sementes, diferenciação celular anormal e redução do crescimento das plantas. Nas análises de atividade alelopática, foi observado que a Lactuca sativa apresentou uma maior queda na porcentagem de germinação e aumento mais expressivo do índice de alelopatia, quando comparada ao Allium cepa, na concentração de 0,004mg/mL de teor de cumarina no extrato. No entanto, para o ensaio com nanodispersão, foi evidenciado que, em ambos os organismos testes, houve uma queda significativa da germinação e/ou inibição da germinação, quando comparada ao controle, proporcionando maior atividade alelopática. Quanto à atividade mutagênica, em tratamento contínuo, a CuP promoveu um maior efeito clastogênico, indicando que a cumarina isolada promove mais danos à célula vegetal do que quando associada a outros compostos presentes no extrato de guaco. No tratamento descontínuo do extrato, foi possível verificar que, tanto para 24h, 48h, quanto para o tratamento da Recuperação, houve uma queda do índice mitótico. No tratamento de 24h, a concentração de 0,001mg/mL apresentou efeito clastogênico, quando comparada ao controle negativo. Palavras-chave: Prótons Mutagenicidade Alelopatia Allium cepa.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11406
Appears in Collections:PPGBV - Teses de doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_12877_Versão Final - Monique Ellen farias Barcelos.pdf2.15 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.