Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2101
Título: A poética urbana de Maurício Salgueiro
Autor(es): Rebello, Michele Cristine Marques
Orientador: Cirillo, Aparecido José
Data do documento: 7-Jun-2013
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O objetivo desta dissertação é refletir sobre a poética urbana da série Urbis, produzida entre as décadas de 1960 e 1970 pelo artista plástico Maurício Salgueiro. O termo Urbis faz menção direta à palavra cidade, objeto de estudo do artista. A série é um projeto futurista de e construção da cidade que conglomera objetos dotados de dispositivos eletromecânicos, que por vezes os intitulamos como máquinas. Esta combinação possibilita reflexões sobre a cidade, principalmente no seu caráter frenético e movimentado, enfatizando o caos que invade o dia a dia dos que a habitam, na viva e atual reflexão dos habitantes da cidade enquanto personagens presentes da máquina maior: o próprio mundo contemporâneo. As novas buscas e práticas artísticas, no Século XX, tornaram possível a existência de outro olhar sobre o universo da escultura, em especial, na maneira de observar e discutir o papel do objeto artístico em si. As mudanças e os avanços ocorridos no decorrer do século passado deram origem a algumas questões a serem discutidas, principalmente sobre os caminhos convergentes entre a arte e a tecnologia, trazendo à tona a discussão sobre o hibridismo no campo da arte contemporânea, focando a discussão na série Urbis. Os avanços tecnológicos e os debates acerca do objeto tiveram início no final da década de 1950 e foram fatores fundamentais para o processo criativo e poético de Salgueiro. Abrem-se lacunas a ser preenchidas por uma série de reflexões acerca da presença do espectador no espaço físico onde o objeto artístico se encontra, bem como a interatividade entre objeto e espectador, que advém da necessidade de envolvimento e experimentação. A partir de então, a Urbis caminha em direção ao espaço e ao tempo, não constituindo, somente, um objeto para ensimesmar-se. A veleidade de Salgueiro pelos objetos/máquinas motorizadas influencia diretamente na estética da série, oferecendo possibilidades outrora impensáveis, como a revelação de sons e ruídos abrindo-se a diversas possibilidades de questionamentos por parte do sujeito/espectador. Maurício Salgueiro transforma a cidade num espaço para ser questionado e investigado, com significados a serem decodificados.
The objective of this thesis is to analyze the urban poetic series Urbis, produced between the 1960s and 1970s by the artist Mauricio Salgueiro. The term Urbis makes direct reference to the word city, object of study of the artist. The series is a futuristic project of reconstruction of the city using objects endowed with electromechanical devices, that sometimes the call as machines. This combination allows for reflections on the city, mainly in his character hectic and busy, emphasizing the chaos that invades the day of the living, the living and current reflection of the inhabitants of the city while characters present on the machine greater: own the contemporary world. The new searches and artistic practices, in the twentieth century, made possible the existence of another look on the universe of sculpture, in particular, in the way of observing and discussing the role of the artistic object in itself. The changes and the debates about the object in the last century have given rise to several questions to be discussed, particularly on the paths converging between art and technology, bringing to the fore the discussion on hybridization in the field of contemporary art, focusing on the discussion in the series Urbis. Technological advances and the questions about the object started at the end of the 1950s and were fundamental factors for the creative process and poetic of willow. Open gaps to be filled by a series of reflections on the presence of the spectator in the physical space where the artistic object is found, as well as the interactivity between object and viewer, which arise from the need of involvement and experimentation and, from then on, the Urbis walks toward space and time, and is thus not only an object for admiration. The impertinence of willow by objects/motorized machines directly influences the aesthetics of the series, offering possibilities once unthinkable, as the revelation of sounds and noises opening itself to the various possibilities of questioning on the part of the subject/viewer. Mauricio Salgueiro transforms the city into a space to be questioned and investigated, with meanings to be decoded
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2101
Aparece nas coleções:PPGA - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_6544_Michele Cristine Marques Rebello20130829-160525.pdf1.71 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.