Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2949
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorBarros, M. E. B. de
dc.date.accessioned2016-08-29T14:09:53Z-
dc.date.available2016-07-11
dc.date.available2016-08-29T14:09:53Z-
dc.identifier.citationBOTELHO, I. C., Narrando Experiências, Montando Ca(u)sos. Análises das Práticas de Cuidado na Saúde Mental Infanto-juvenil.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/2949-
dc.format.mediumtexten
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleNarrando Experiências, Montando Ca(u)sos. Análises das Práticas de Cuidado na Saúde Mental Infanto-juvenil.por
dc.typemasterThesisen
dcterms.abstractEste trabalho apresenta algumas análises das práticas de cuidado junto a crianças e adolescentes no campo da Saúde Mental. Para tanto, empreende a montagem de casos de meninos e meninas que fazem uso de algum equipamento da Saúde Mental. A pesquisa se pauta em uma política da narratividade que toma as narrativas como diagrama processual das experiências no campo. Nesse sentido, a montagem dos casos se faz por um procedimento de traçar as práticas de cuidado, visibilizar as políticas em curso, cartografar os elementos heterogêneos. Desse modo, são feitas discussões e problematizações de algumas práticas no campo da Saúde Mental Infanto-juvenil: o tardio enfrentamento da Saúde Mental com as questões da infância e adolescência; o abrigamento como única forma de cuidado; a produção do Autismo e dos espaços de especialismos; a orientação de uma política da Atenção Psicossocial; os dispositivos inovadores como o CAPSi; o debate aberto e público das políticas de cuidado. Afirmamos que a construção de políticas que sejam públicas está na invenção das práticas de cuidado no cotidiano dos serviços; na disponibilidade de encontro com cada menino e menina; na singularidade dos casos; na processualidade da constituição do campo de atuação, das leis, das portarias; nos movimentos sociais; nos analisadores, que colocam em questão as práticas naturalizadas. Esse é o sentido maior que este trabalho oferta, a não cristalização das políticas e sim a invenção laboriosa das práticas de cuidado.por
dcterms.creatorBOTELHO, I. C.
dcterms.issued2014-07-24
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Psicologia Institucionalpor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Psicologia Institucionalpor
dc.contributor.refereeCOUTO, M. C. V.
dc.contributor.referee
dc.contributor.advisor-coRODRIGUES, H. B. C.
Appears in Collections:PPGPSI - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_8370_Ivana Botelho.pdf699.58 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.