Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3839
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorMendes, Sérgio Lucena-
dc.date.accessioned2016-08-29T15:09:20Z-
dc.date.available2016-07-11-
dc.date.available2016-08-29T15:09:20Z-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/3839-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titlePadrão de atividade, dieta e uso do espaço por Callicebus personatus (Primates, Pitheciidae) em uma área de parque urbano, município de Santa Teresa, ESpor
dc.typemasterThesisen
dc.subject.udc57-
dc.subject.br-rjbnRegiões Metropolitanas-
dc.subject.br-rjbnMacaco - Comportamento-
dc.subject.br-rjbnMata Atlântica-
dcterms.abstractA procura de alimento demanda tempo e gasto energético e o hábitat pode apresentar variações, fazendo com que os animais tomem Decisões sobre como se comportar nele. Estudos sobre comportamento e dieta de Callicebus personatus ainda são pontuais e com pouco tempo de dados de observação. Este estudo tem como objetivos apresentar como um grupo de C. personatus, que vive em um fragmento de mata inserido em uma área urbana, se comporta e avaliar se o consumo de frutos pelos guigós influencia os padrões de atividades e uso do espaço. O estudo foi conduzido durante os meses de setembro e novembro de 2011 e fevereiro a julho de 2012, utilizando a metodologia de amostragem instantânea. Os guigós passaram 50% do tempo descansando, 20% se movimentando, 17% se alimentando e 13% em interações sociais. Os frutos foram os alimentos mais utilizados pelos guigós, compreendendo cerca de 70% da dieta, incluindo, pelo menos, oito famílias botânicas. O orçamento temporal do grupo estudado seguiu o padrão encontrado em outros estudos de C. personatus. De acordo com as observações sobre as áreas utilizadas mensalmente, a área de parque arborizado, mais antropizada, é a área mais visitada. Lá estão concentradas as árvores exóticas, que estão frutificando (pelo menos uma espécie) ao longo de todo o ano. Os dados sugerem que os guigós utilizam a área de vida de acordo com a disponibilidade de recurso de frutos disponíveis, além de preferir ingerir itens de maior valor energético, como previsto pela Teoria de Forrageamento Ótimo.por
dcterms.creatorFernandes, Cintia Corsini-
dcterms.formatText-
dcterms.issued2013-02-22-
dcterms.languagepor-
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciências Biológicas (Biologia Animal)por
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.subject.cnpqBiologia Geral-
dc.publisher.courseMestrado em Biologia Animalpor
dc.contributor.refereeKierulff, Maria Cecília Martins-
dc.contributor.refereeLeite, Yuri Luiz Reis-
Aparece nas coleções:PPGBAN - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_6328_.pdf1.45 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.