Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5140
Título: Síntese e caracterização de nanopartículas de ouro com resina de Virola oleifera e avaliação do seu efeito antibacteriano
Autor(es): Milaneze, Bárbara Altoé
Orientador: Guimarães, Marco Cesar Cunegundes
Data do documento: 2-Set-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: MILANEZE, Bárbara Altoé. Síntese e caracterização de nanopartículas de ouro com resina de Virola oleifera e avaliação do seu efeito antibacteriano. 2015. 95 f. Dissertação (Mestrado em Bioquímica e Farmacologia) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2015.
Resumo: O uso da nanotecnologia vem modificando a forma com que diversos tipos de materiais são utilizados. A síntese coloidal é um método extremamente versátil, de custo relativamente baixo comparado a outros métodos de produção de nanopartículas metálicas (NPs). Seu comportamento está relacionado ao ambiente em que se encontra, estabilidade, composição química, grau de agregação, morfologia e tamanho, e por isso modulações no momento da síntese são determinantes para a atividade biológica. Grande parte das rotas tradicionalmente utilizadas para a produção de nanopartículas metálicas, partem de solventes tóxicos, que acabam dando origem a resíduos nocivos à saúde e ao meio ambiente. Estudos com NPs vêm mostrando que elas têm grande potencial como agentes antimicrobianos, entrega de drogas, dentre outros. O presente estudo teve como objetivo o desenvolvimento de uma metodologia sustentável para a síntese de nanopartículas de ouro, utilizando como agente redutor solução de resina de Virola oleifera, e posterior avaliação da atividade antimicrobiana e antioxidante. Métodos: As nanopartículas de ouro (AuNPs) foram sintetizadas por oxi-redução, com base em um planejamento fatorial 3² onde as variáveis foram o tempo e a concentração do agente redutor. A caracterização foi realizada com análises de UV-Vis, Microscopia, Potencial Zeta, ICP-MS e Infravermelho. O potencial antioxidante foi avaliado tanto para a resina quanto para as AuNPs. A atividade antibacteriana foi testada contra Staphylococcus aureus 1117 e Escherichia coli DH5α pela técnica de microdiluição em caldo, e a interação rápida por agitação, seguidas de análises de Microscopia Eletrônica de Transmissão. Resultados: A resina de Virola oleifera foi capaz de reduzir o ouro de modo tão eficaz quanto o citrato de sódio (agente redutor tradicionalmente utilizado). Dentre as variáveis apenas a concentração do agente redutor foi relevante para determinar as características das nanopartículas. O pico de absorbância ocorreu entre 520 e 540nm. Juntamente com tais dados as imagens de microscopia confirmam a presença de nanopartículas de ouro. A partir da síntese verde as AuNPs tinham formas variadas e potencial zeta mostrou que as AuNPs eram estáveis. As análises de ICP-MS mostraram que a concentração e ouro reduzida com a síntese verde foi maior que com citrato. As nanopartículas de ouro apresentaram potencial antioxidante e foram capazes de inibir o crescimento de S. aureus por interação com a membrana. Conclusões: A resina de Virola oleifera se mostrou uma ótima alternativa para a síntese de AuNPs, dando origem a partículas com atividade antioxidante, e eficazes na inibição de S. aureus.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5140
Aparece nas coleções:PPGBF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_7497_Barbara Altoe Milaneze - PDF VERSÃO FINAL20151103-100257.pdf5.2 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.