Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6480
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorDiniz, Lúcia Martins-
dc.date.accessioned2016-12-23T14:35:27Z-
dc.date.available2013-11-04-
dc.date.available2016-12-23T14:35:27Z-
dc.identifier.citationFRAGA, Clarissa Matarangas Moreira da. Influência da corticoterapia sistêmica no desencadeamento da pitiríase versicolor. 2013. 95 f. Dissertação (Mestrado Profissonal em Medicina) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2013.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/6480-
dc.format.mediumtexteng
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.rightsrestrict accesseng
dc.titleInfluência da corticoterapia sistêmica no desencadeamento da pitiríase versicolorpor
dc.typeMasterThesiseng
dc.subject.udc61-
dc.subject.br-rjbnTinha (Doenças)por
dc.subject.br-rjbnCorticosteróidespor
dc.subject.br-rjbnMedicamentos - Administraçãopor
dc.subject.br-rjbnFungospor
dc.subject.br-rjbnMicosespor
dcterms.abstractIntrodução: A pitiríase versicolor é micose superficial crônica de grande importância pela sua alta frequência e o impacto psicológico determinado nos pacientes. A literatura cita a corticoterapia sistêmica como um dos fatores de risco para o surgimento das lesões fúngicas, porém a real relação entre a micose e o uso de corticoides não é totalmente estabelecida. Objetivo: Avaliar se a utilização de corticosteroide sistêmico de forma prolongada (período mínimo de trinta dias) associa-se ao aumento da frequência de pitiríase versicolor. Pacientes e Métodos: Estudo observacional, transversal, analítico e comparativo, realizado no período de janeiro de 2012 a janeiro de 2013, nos ambulatórios: a) dermatologia geral do Serviço de Dermatologia do Hospital Cassiano Antonio Moraes HUCAM), em Vitória, ES, b) glomerulopatias do Serviço de Nefrologia do HUCAM, e c) no setor de hanseníase da Unidade de Saúde de Maruípe em Vitória (ES), onde pacientes em uso ou não uso de corticoterapia sistêmica prolongada foram entrevistados e examinados quanto à presença de lesões de pitiríase versicolor. Nos casos diagnosticados clinicamente, foi realizado exame laboratorial confirmatório da micose superficial. As variáveis foram analisadas no programa de estatística SPSS 17.0. Resultados: Do total de 100 pacientes, a mediana de idade foi de 40 anos; os quadros de pitiríase versicolor resultaram em nove casos, sendo oito do grupo da corticoterapia e um do grupo que não estava em uso de corticoide. Do grupo de pacientes com a micose a faixa de idade predominante foi dos 20 aos 39 anos, com uma frequência de seis (66,6%) pacientes; seis (66,7%) pacientes eram do sexo feminino; sete (77,8%) eram pardos; oito (88,9%) estavam em uso de corticoterapia sistêmica prolongada; sete (77,8%) usavam baixas doses de corticoide sistêmico; quatro (57,1%) apresentavam leucocitose; cinco (71,4%) níveis de colesterol total e triglicerídeos normais e quatro (80%) glicemia normal. Discussão e Conclusão: A pesquisa revelou aumento da frequência da pitiríase versicolor entre os pacientes em uso de corticoterapia sistêmica prolongada, quando comparado ao grupo sem uso de corticoide, com significância estatística, corroborando os resultados obtidos pelo único estudo (1962) encontrado na literatura. A investigação de como ocorre o efeito da corticoterapia para o desencadeamento da pitiríase versicolor, se por alteração no metabolismo glicídico, lipídico ou por imunossupressão, merece estudos posteriores, pois os dados de glicemia, lipidograma e leucograma não demonstraram significância estatística quando comparados ao grupo sem uso de corticoterapia sistêmicapor
dcterms.abstractBackground: Pityriasis versicolor is a chronic superficial mycosis of great clinical importance due to its high prevalence and psychological impact on patients. The literature cites corticosteroid therapy as a risk factor for the emergence of fungal lesions, but the real relationship between mycosis and the use of corticosteroids is not fully established. Objective: To determine wether prolonged systemic corticosteroid therapy (minimum of thirdy days) is associated with an increased frequency of pityriasis versicolor. Patients and methods: This observational, transversal, analytical and comparative study was carried out from January 2012 to January 2013 in the Dermatology and Nephrology outpatient clinics of the Cassiano Antonio Moraes University Hospital (HUCAM), as well as in the leprosy clinic of the Maruipe primary health care unit in Vitoria (ES), where a hundred patients, using or not systemic corticosteroid therapy were interviewd and examined to identify the presence of pityriasis versicolor lesions. After clinical diagnosis, laboratory tests were performed to confirm the superficial mycosis.The data was analysed with the statistical program SPSS 17.0. Results: Out of the total a hundred patients, the mean age was 40 years old; nine cases of Pityriasis versicolor were identified, being eight from the corticosteroid therapy group and one not in use. As to the patients diagnosed with the mycosis, the predominant group age ranged from 20 to 39 years (66.7%), six were female (66.7%), seven were biracial (77.8%), eight were in prolonged systemic corticosteroid therapy, seven (77.8%) used low dose of systemic corticosteroid, four (57,1%) had leukocitosis, five (71,4%) had normal total cholesterol triglicerid serum levels and four (80%), normal glicemia. Discussion and conclusion: The study revealed an increased prevalence of pityriasis versicolor among patients using prolonged systemic corticosteroid therapy, when compared to the group with no use of corticosteroid, with statistically significant difference, confirming the results of the single study (1962) on this subject found in the medical literature. The mechanisms involved in the frequent development of pityriasis versicolor among systemic corticosteroid therapy users, wether by immunossupression or by impaired lipid metabolism, must be established in further studies, since data on blood glucose, lipid profile and WBC showed no statistical significance when compared to the group with no use of systemic corticosteroidseng
dcterms.creatorFraga, Clarissa Matarangas Moreira da-
dcterms.issued2013-06-14-
dcterms.languageporpor
dcterms.subjectPityriasis versicoloreng
dcterms.subjectAdministração oralpor
dcterms.subjectFatores de riscopor
dcterms.subjectTinea versicoloreng
dcterms.subjectMalasseziaeng
dcterms.subjectCorticosteroidseng
dcterms.subjectOral Administrationeng
dcterms.subjectRisk factorseng
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentMestrado Profissonal em Medicinapor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Medicinapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINApor
dc.contributor.refereeFalqueto, Aloísio-
dc.contributor.refereeCostalonga, Everlayny Fiorot-
Aparece nas coleções:PPGMED - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
Clarissa Matarangas Moreira da Fraga.pdf1.13 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.