Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6718
Title: Acolhimento na atenção básica : navegações e mergulhos nos discursos e práticas produzidos no cotidiano de uma Unidade de Saúde da Família
Other Titles: Embracement in Primary Health Care: surfing and diving into discourses and practices produced in the everyday activities in a Family Health Care
metadata.dc.creator: Hoffmann, Catharina
Keywords: Acolhimento;Processos de trabalho em saúde;Produção de subjetividade;Relação trabalhador-usuário;Embracement;Work processes in health;Production of subjectivity;Worker-user relationship
Issue Date: 19-Mar-2009
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: HOFFMANN, Catharina. Embracement in Primary Health Care: surfing and diving into discourses and practices produced in the everyday activities in a Family Health Care. 2009. 175 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Institucional) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2009.
Abstract: This research discusses the plans of health production processes, aiming the health discourses and practices related to embracement. The context for the analysis is the Primary Health Care in the city of Vitória/ES and the research field are the everyday activities of the Family Health Service in Ilha do Príncipe. As reference it was used Institutional Analysis and Collective Health. It was analyzed the way how workers embrace the users of the health service as well as listened to their conceptions and discourses produced upon embracement, in relation to their everyday practices, which includes work processes and the interaction with the users. It was used Cartography as the methodological strategy. Data was produced from February 2008 to September 2008, through field observation, field diary and interviews with the users and health workers from the Family Health Service. The results show that the process of work and its management are fragmented and bureaucratized. There is the intention, from the workers, to revise the work processes, however they find obstacles in this practice. Concerning Embracement, the requirements the workers have to fulfill to obtain a certain amount of productivity is one aspect that compromises the quality of the relation between the Family Health Teams and their relation towards the users, affecting the response to their needs and the offer of actions in health care. The everyday activities show that the needs the workers are willing to welcome are related to disease or symptoms physically expressed. It was revealed that users have conversation as a valued demand and it is embraced by some workers. It was highlighted that communication in the Family Health Teams is restricted to discussions on administrative issues and procedures. The informal hierarchy order according to the level of graduation contributes to understand Embracement as an activity or procedure attributed to a specific category (nursing assistants), which supposedly have the technical capacity to do it in the action of receiving the user in the establishment. It was noticed that there isn t a pact between the actions in health offered and the users, in a way that the Family Health Program doesn t guarantee embracement. However, the tension in the everyday relations between worker and user favor the discussion of embracement as an action that may surpass reception. It is evident the need of reorganizing the process of work and engendering subjectivities for a humanization that values the singularization processes in a way of promoting a real democracy in the access to health, in the quality of health care and in the guarantee of the principles of SUS (Public Health System)
Esta pesquisa abrange os processos de produção de saúde, tendo como objeto de estudo os discursos e práticas de saúde relacionados ao acolhimento. O contexto de análise é a Atenção Básica do município de Vitória/ES e o campo de pesquisa, o cotidiano da Unidade de Saúde da Família da Ilha do Príncipe. O estudo utilizou como referência os aportes teóricos da Análise Institucional e da Saúde Coletiva. Buscou-se analisar o modo como os trabalhadores fazem acolhimento no cotidiano do serviço, além de escutar as concepções e os discursos produzidos a respeito, na relação com suas práticas cotidianas, o que inclui os processos de trabalho e as interações com os usuários. Para isso, utilizou-se a Cartografia como estratégia metodológica. Os dados foram produzidos no período de fevereiro a setembro de 2008, por meio de observação, diário de campo e entrevistas realizadas com usuários e trabalhadores da USF. Os resultados produzidos expressam que o processo de trabalho e sua gestão são fragmentados e burocratizantes. Há intenção dos trabalhadores de rever os processos de trabalho, entretanto, isto encontra obstáculos na prática. No tocante ao acolhimento, a exigência que os trabalhadores sofrem para que atendam a uma certa produtividade é um aspecto que compromete a qualidade da relação entre as equipes e destas com o usuário, afetando o atendimento às necessidades destes e a própria oferta de ações de saúde. As necessidades que os trabalhadores esperam acolher estão circunscritas à doença ou sintoma manifesto fisicamente. Demonstrou-se que ir ao serviço para conversar constitui-se em uma demanda valorizada pelos usuários, sendo acolhida por alguns trabalhadores. Evidenciou-se que a comunicação nas equipes é restrita às discussões de questões administrativas e procedimentos. A hierarquização entre os níveis de formação contribui para entender o acolhimento como uma atividade ou procedimento que é atribuição de uma categoria específica (auxiliares de enfermagem), a qual supõe-se, tem capacidade técnica para fazê-lo no ato de recepção do usuário. Constatou-se que as ações de saúde não são pactuadas com os usuários, de modo que o PSF não garante o acolhimento. Porém, os tensionamentos nas relações cotidianas entre trabalhador e usuário favorecem a problematização do acolhimento como ação que pode ultrapassar a recepção. Fica evidente a necessidade de reorganização dos processos de trabalho e de se engendrar subjetividades por uma humanização que valorize os processos de singularização, de modo a se promover uma real democracia no acesso à saúde, na qualidade da assistência e na garantia dos princípios do SUS
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6718
Appears in Collections:PPGPSI - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao de Catharina Hoffmann.pdf1.3 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.