Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8297
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorTOGNELLA, M. M. P.
dc.date.accessioned2018-08-01T23:27:11Z-
dc.date.available2018-08-01
dc.date.available2018-08-01T23:27:11Z-
dc.identifier.citationBARCELOS, U. D., EFEITO DA DENSIDADE SOBRE O DESENVOLVIMENTO DE PLÂNTULAS DE RHIZOPHORA MANGLE L. EM CULTIVO IN SITU E EX SITUpor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/8297-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleEFEITO DA DENSIDADE SOBRE O DESENVOLVIMENTO DE PLÂNTULAS DE RHIZOPHORA MANGLE L. EM CULTIVO IN SITU E EX SITUpor
dc.typemasterThesisen
dc.contributor.memberLIMA, A. B. P.G.
dc.contributor.memberCUNHA, S. R. D.
dcterms.abstractO objetivo deste trabalho é avaliar o desenvolvimento de plântulas de Rhizophora mangle in situ e ex situ em diferentes densidades. As densidades foram: 4 e 16 e 2, 4, 8, 16, respectivamente. Para isto as plântulas foram cultivadas em uma área de clareira no manguezal da Guaxindiba (Parque Estadual de Itaúnas) no município de Conceição da Barra (ES), e em laboratório. Para o experimento in situ, a sobrevivência do tratamento com 16 e quatro indivíduos após 68 semanas foi de 86,2 e 65 %, respectivamente. Nos primeiros 20 dias após o plantio, a taxa de crescimento foi de 0,12 e 0,13 para os tratamentos com 16 e quatro indivíduos, respectivamente, e após 480 dias, a taxa declinou para 0,08 e 0,04, respectivamente. Para o experimento ex situ foi utilizada a solução hidropônica de Hogland e Arnon e após 35 dias da implantação, a taxa de crescimento dos tratamentos foi: 0,00094; 0,00295; 0,0025 e 0,0029, respectivamente para os tratamentos com 2, 4, 8 e 16 plântulas. O desenvolvimento das plântulas entre os tratamentos in situ e ex situ foi diferente, os indivíduos que foram cultivados no campo apresentaram uma maior taxa de crescimento e número de folhas quando comparados aos cultivados em laboratório está diferença está atrelada a maior disponibilidade de luz que estas plântulas tiveram. Apesar de todos os indivíduos do tratamento ex situ terem sobrevivido nem todos se desenvolveram, in situ a maior mortalidade foi encontrada no tratamento com 4 indivíduos onde a ação da maré foi um dos fatores determinantes para esta mortalidade.por
dcterms.creatorBARCELOS, U. D.
dcterms.formatapplication/pdfpor
dcterms.issued2017-07-05
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Biodiversidade Tropicalpor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Biodiversidade Tropicalpor
Aparece nas coleções:PPGBT - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11145_RESUMO.pdf135.49 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.