Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9059
Title: Projetos de Vida e Relações Interpessoais de Adolescentes em Cumprimento de Medida Socioeducativa de Internação
metadata.dc.creator: COSCIONI, V.
Keywords: Projetos de Vida;Relações Interpessoais;Adolescentes em Co
Issue Date: 13-Mar-2017
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: COSCIONI, V., Projetos de Vida e Relações Interpessoais de Adolescentes em Cumprimento de Medida Socioeducativa de Internação
Abstract: O objetivo da presente dissertação é compreender de que maneira as relações interpessoais estabelecidas por adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa de internação (ACMSEI) contribuem para a elaboração de seus projetos de vida. Trata-se de um trabalho dividido em dois estudos, sendo o primeiro teórico e o segundo empírico. O estudo teórico configura-se como uma revisão sistemática da literatura que analisou sistematicamente 30 relatos de pesquisas empíricas conduzidas no Brasil, tendo como objetivo central caracterizar o cumprimento da medida socioeducativa de internação no País. A revisão identificou a prevalência de práticas coercitivas sobre as pedagógicas e ressaltou a necessidade de pesquisas que investiguem os processos decorrentes da privação de liberdade. O estudo empírico configura-se como um estudo de múltiplos casos embasado pela Teoria Bioecológica do Desenvolvimento Humano e realizado a partir da condução de quatro grupos focais, tendo como participantes 25 ACMSEI entre 15 e 19 anos residentes nas Regiões Metropolitanas do Espírito Santo e Rio Grande do Sul. Verificaram-se duas formas de conceber o futuro entre os participantes: 1) a partir de projetos de vida vinculados à criminalidade, que incluíam um sentido de ação claro para o futuro; e 2) a partir de expectativas de futuro relacionadas à educação, família e trabalho, mas sem um sentido de ação por meio do qual se intentava atingir tais expectativas. Adolescentes que tinham projetos de vida vinculados à criminalidade, tendiam a se desinteressar pelos atendimentos técnicos e pela presença dos agentes socioeducativos, o que impedia a realização de um trabalho socioeducativo que promovesse outros projetos de vida. Adolescentes que tinham expectativas de futuro ligadas a educação, trabalho e família, por sua vez, usufruíam da presença dos funcionários, que junto com os familiares, pareciam promover a motivação para a elaboração de projetos de vida desvinculados de práticas infracionais. O contato com funcionários e familiares, contudo, parecia pouco efetivo na elaboração de um sentido de ação que possibilitasse a desvinculação do mundo do crime, o que se relaciona à precarização do trabalho e dos espaços de visitas familiares promovidos nas instituições. As relações estabelecidas com os demais adolescentes internos, em direção oposta, pareciam contribuir para a elaboração de projetos de vida vinculados à criminalidade, a partir da troca de informação sobre a organização do mundo do crime, bem como maneiras mais efetivas de praticar atos infracionais. As intervenções digiridas a ACMSEI deve levar em consideração suas atuais expectativas de futuro: 1) aos adolescentes com projetos de vida vinculados à criminalidade, devem ser dirigidas intervenções que apresentem novas possibilidades de vida, distantes do mundo do crime; 2) aos adolescentes com expectativas de futuro ligadas à educação, trabalho e família, devem ser dirigidas intervenções que possibilitem elaborar um plano de ação futuro por meio do qual seja possível tornar tais expectativas reais.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9059
Appears in Collections:PPGP - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_9386_Dissertação, Vinicius Coscioni.pdf1.27 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.