Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10009
Title: PLASTICIDADE FENOTÍPICA DE TRÊS ARBÓREAS TROPICAIS EM CONDIÇÕES DE IRRADIÂNCIA CONSTRASTANTES
metadata.dc.creator: GABURRO, T. A.
Issue Date: 26-Feb-2013
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: GABURRO, T. A., PLASTICIDADE FENOTÍPICA DE TRÊS ARBÓREAS TROPICAIS EM CONDIÇÕES DE IRRADIÂNCIA CONSTRASTANTES
Abstract: O plantio de arbóreas nativas tropicais encontra-se em ascensão, e para o sucesso dessa atividade, é necessária informações sobre o comportamento das espécies em relação ao meio no qual estão inseridas, como a intensidade de radiação solar. No ambiente florestal, a luz é um dos fatores principais no estabelecimento e distribuição de espécies vegetais. Assim, espécies com ampla plasticidade apresentam vantagens adaptativas em ambientes heterogêneos. Acredita-se que espécies tolerantes à sombra, apresentam em geral, metabolismo com baixa flexibilidade de resposta às mudanças no ambiente. Já as espécies exigentes de luz, se aclimatam mais rapidamente às mudanças do regime de luminosidade. Nesse contexto, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a plasticidade fenotípica de três arbóres tolerantes ao sombreamento (Cariniana estrellensis, Cedrela odorata e Manilkara salzmannii) em condições de luminosidade contrastante considerando as respostas fisiológicas, morfológicas e anatômicas. Para isso, plantas joves dessas espécies foram submetidas a dois tratamentos: Pleno sol e Sombra ( 5% de luminosidade). Após 150 dias de experimento, foram realizadas análise morfológicas, fisiológicas e anatômicas. As três espécies mostraram intensas alterações nos diferentes tratamentos, apresentando respostas comumentes encontradas em espécies adaptadas ao sol e à sombra. Plantas de sombra apresentaram menor razão R:PA, maiores valores para AFE, RAF, altura do caule e maior teor de pigmentos fotossintéticos. Plantas de sol apresentaram maior MFE, teor de carboidratos solúveis, além de maior espessura do limbo foliar e densidade estomática. O índice de plasticidade mostrou que, para as três espécies, houve maior amplitude de respostas em variáveis fisiológicas, seguidas de morfológicas e anatômicas. A C. odorata apresentou maior IP de variáveis morfológicas que C. estrellensis e M. Salmanni, o que mostra maior plasticidade fenotípica dessa espécie em relação às outras. De maneira geral, as espécies estudadas apresentaram elevada plasticidade fenotípica relacionada a luminosidade contrastante, corroborando a hipótese de que espécies tolerantes ao sombreamento são capazes de sobreviver em ambiente altamente iluminado. Devido à capacidade de aclimatação em pleno sol, essas IX espécies se configuram como espécies de sombra facultativa, podendo ser indicadas para programas de reflorestamento e recuperação de áreas degradadas. Palavras chave: Plasticidade, arbóreas, luminosidade, morfologia, fisiologia, anatomia.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10009
Appears in Collections:PPGBV - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_7418_tese_7418_Dissertação_THIELE.pdf17.56 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.