Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10035
Title: Bidens Pilosa L.: Análises da Composição Química e Atividades Biológicas de Diferentes Populações e Condições de Cultivo
metadata.dc.creator: DELARMELINA, J. M.
Issue Date: 22-Jun-2017
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: DELARMELINA, J. M., Bidens Pilosa L.: Análises da Composição Química e Atividades Biológicas de Diferentes Populações e Condições de Cultivo
Abstract: A utilização de plantas com fins medicinais, para tratamento, cura e prevenção de doenças, é uma das mais antigas formas de prática medicinal da humanidade. Bidens pilosa L., Asteraceae, popularmente como picão-preto, é uma planta tradicionalmente utilizada para o tratamento de hepatite, câncer, diabetes, entre outras desordens. É uma planta de interesse terapêutico por ser rica em compostos químicos associados à saúde humana. No entanto, os compostos químicos podem variar, qualitativamente e quantitativamente, de acordo com inúmeros fatores que podem, consequentemente, refletir em suas atividades biológicas. Dentre os principais fatores que contribuem para a variação da composição química de extratos vegetais tem-se a variabiliadade genética, fatores ambientais e o processo de extração, como a utilização de solventes com polaridade distintas, por exemplo. Assim, o presente estudo visou: a) avaliar a variabilidade do extrato hidroalcoólico e cinco de frações (hexano, diclorometano, acetato de etila, butanol e aquosa) de quatro populações de B. pilosa (Afonso Claudio, Barra de São Francisco, Cariacica e Muniz Freire) usando marcadores genéticos (RAPD), análises fitoquímicas (prospecção fitoquímica, ESI(-) FT-ICR MS e conteúdo total de flavonoides, taninos e compostos fenólicos), análises de atividade antioxidante in vitro (por meio dos ensaios de DPPH&#9679;, ABTS&#9679;+, atividade quelante sobre o Fe+2 e sistema &#946;-caroteno/ácido linoleico) e, análises in vivo para avaliar a citotoxicidade, anticitotoxicidade, mutagenicidade e antimutagenicidade (pelo teste do micronúcleo em medula óssea de camundongos). b) avaliar a variabilidade do extrato da planta submetida a três condições de cultivo (orgânico, inorgânico e controle) e em diferentes estágios fenológicos (vegetativo e floração), por meio de análises fitoquímicas, antioxidantes e in vivo (mutagenicidade e citotoxicidade das plantas no estágio de floração) e de crescimento. As análises fitoquímicas revelaram significativa diferença quantitativa e qualitativa entre as amostras testadas, o que refletiu em variabilidade nas atividades biológicas (antioxidante, t-test, P<0.5). Os resultados sugerem que os fatores ambientais foram determinantes, em comparação aos fatores genéticos. Os ensaios in vivo demonstraram que a planta não induziu citotoxicidade e mutagenicidade em todas as condições experimentais (Tukey, P<0.5) e foi capaz de proteger o DNA contra os danos induzidos pela ciclofosfamida, nos ensaios de anticitotoxicidade e antimutagenicidade. Palavras-chave: Análise fitoquímica atividade antioxidante Bidens pilosa L. ESI(-) FT-ICR MS fertilizante micronúcleo.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10035
Appears in Collections:PPGBV - Teses de doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_11090_Tese JULIANA MACEDO DELARMELINA1.pdf2.71 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.