Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10564
Title: Determinação do ponto de colheita da manga Ubá para amadurecimento em condição ambiente.
metadata.dc.creator: LIMA, R. R.
Keywords: Estádio;antese;amadurecimento;floração;análises físico-q
Issue Date: 11-Jul-2018
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: LIMA, R. R., Determinação do ponto de colheita da manga Ubá para amadurecimento em condição ambiente.
Abstract: A mangueira (Mangifera indica L.) é uma espécie frutífera de clima tropical, cultivada em muitas partes do Brasil. É uma fruta bastante apreciada pelo seu excelente sabor, aroma e composição nutricional. A manga Ubá vem ganhando espaço no mercado consumidor devido à alta produtividade. O fruto é pequeno, apresenta polpa suculenta e saborosa, com cor amarelo forte e bem adocicada. A manga sofre diversas mudanças durante a maturação, como alterações físicas, químicas e fisiológicas, que afetam a qualidade do fruto. A colheita tem impacto direto sobre essas alterações. O período em que a manga é colhida afeta suas características finais, pois se antecipado, o fruto não consegue se desenvolver completamente, se tardio, o fruto tem a vida útil comprometida. O objetivo deste trabalho foi determinar o estádio de maturação fisiológica ideal para colheita de manga Ubá, para amadurecimento em condição ambiente. Foram avaliadas as características físico-químicas das mangas durante o amadurecimento a temperatura ambiente e verificou-se o efeito do estádio de maturação nas características físico-químicas pós-colheita da manga, selecionando o melhor estádio para colheita da manga Ubá e estabelecendo um intervalo de vida útil após colheita. Os frutos foram obtidos da área experimental da Universidade Federal do Espírito Santo, campus Alegre, localizada em Rive-ES, 20°45'00.4"S 41°29'14.1"W. As colheitas foram feitas no período de 27 de novembro de 2017 a 07 de janeiro de 2018 em quatro estádios diferentes de maturação sendo estes 90, 105, 120 e 135 dias após antese e transportadas em carro aberto sem refrigeração até o laboratório. As análises foram conduzidas no laboratório de Tecnologia de produtos agrícolas da mesma Universidade. As mangas foram transportadas do campo para o laboratório em carro aberto sem refrigeração, onde foram lavadas, sanitizadas e secas ao ar para dar início às análises. Foram realizadas análises de caracterização do fruto, como peso, diâmetro e comprimento e posterior análises físico-químicas de rendimento, teor de sólidos solúveis, cor de polpa e casca, textura, firmeza, acidez titulável, pH, perda de massa e ratio. Foram feitas análises no dia da colheita (dia zero) e a cada três dias até o 12º dia de armazenamento a temperatura ambiente. Para maioria dos parâmetros avaliados neste estudo, observou-se que os estádios em que as mangas foram colhidas, afetaram as características físico-químicas dos frutos. Além dos estádios, o tempo de armazenamento contribuiu para essas alterações, sendo que os dias iniciais as mangas haviam sofrido pouca alteração, porém com o passar dos dias essas alterações se acentuaram. Observou-se que as mangas colhidas nos estádios 90 e 105 dias não conseguiram amadurecer completamente após a colheita. Já as mangas colhidas nos estádios 120 e 135 dias conseguiram completar o amadurecimento. Apresentaram características físico-químicas típicas de manga madura. Assim, conclui-se que as mangas estão aptas para colheita a partir de 120 dias após a antese. As mangas deste estádio, acondicionadas à temperatura ambiente após a colheita, demoraram em torno de três dias para amadurecerem e apresentaram vida útil de aproximadamente seis dias.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10564
Appears in Collections:PPGCTA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_11300_Dissertação Final de Mestrado - Raquel Reis Lima Pdf..pdf1.38 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.