Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1083
Title: Alunos com paralisia cerebral na escola : linguagem, comunicação alternativa e processos de comunicativos
metadata.dc.creator: Correia, Vasti Gonçalves de Paula
Issue Date: 2014
Abstract: O estudo assume como problema de investigação analisar as contribuições da Comunicação Alternativa e Ampliada (CAA) aos processos comunicativos de alunos sem fala articulada no contexto da escola, destacando nesses processos o papel potencializador dos interlocutores. Fundamenta-se na abordagem de linguagem e na noção de enunciado discutidas por Bakhtin e nas contribuições de Vigotski sobre a relação entre desenvolvimento e aprendizagem, postulando que a aquisição e o desenvolvimento da linguagem ocorrem no curso das aprendizagens, ao longo da vida. As análises e reflexões empreendidas evidenciam uma discussão acerca da linguagem que se desloca da dimensão orgânica para a dimensão da constituição do sujeito como humano. Sob essa visão, outros conceitos, como os de língua, fala, interação verbal, dialogia, enunciação, aprendizagem e desenvolvimento são problematizados e também considerados como elementos fundantes e presentes nas relações comunicativas entre os sujeitos sem fala articulada e seus interlocutores. Na primeira etapa, o estudo busca conhecer as formas organizativo-pedagógicas de cinco Secretarias Municipais de Educação da Região Metropolitana de Vitória e da Secretaria de Estado da Educação no que diz respeito à identificação dos alunos com Paralisia Cerebral, sem fala articulada, ao acompanhamento técnico-pedagógico e à formação de professores que atuam na Educação Especial. Na segunda etapa, objetiva conhecer a processualidade da organização do trabalho pedagógico instituída nos contextos escolares e investiga os processos comunicativos em/com dois alunos com severos comprometimentos motores e de fala em duas escolas de Ensino Fundamental, localizadas no município de Serra e de Vitória. Nesta etapa, opta pela pesquisa- ação colaborativo-crítica por contribuir, teórica e metodologicamente, para sustentar os fazeres individuais e coletivos nos lócus de investigação. Os resultados revelam que, institucionalmente, ainda não se conhece quem são e quantos são os alunos com Paralisia Cerebral sem fala articulada no contexto de suas reais necessidades. Esse desconhecimento é atribuído pelas gestoras das Secretarias Municipais de Educação investigadas ao considerarem que, via de regra, são tomadas apenas as informações do Educacenso-INEP. As identificações pontuais, quando ocorrem, são decorrentes de estratégias internas adotadas, sendo uma delas o assessoramento pedagógico das equipes às escolas. No que tange ao ensino, à aprendizagem e à avaliação, o estudo constata que são atravessados por concepções equivocadas sobre os sujeitos com Paralisia Cerebral sustentadas, sobretudo, pela baixa expectativa e pelo pouco “esforço” quanto à sua escolarização. Constata também que o uso dos recursos de CAA potencializa os processos comunicativos dos alunos investigados e, movimentados pela linguagem, possibilita-lhes enunciar e fixar posições, opiniões e decisões, assegurando-lhes mais autonomia e fluidez do processo comunicacional. As formas de mediação dos interlocutores assim como as dinâmicas dialógicas por eles utilizadas com os alunos se constituem como elementos importantes nos processos de comunicação e interação. A espera do outro, o apoio e o incentivo à reformulação daquilo que se quer expressar, as modificações e alterações no jogo dialógico são exemplos dessa mediação. Quanto às ações de reorganização do trabalho pedagógico, o estudo registra maior articulação e colaboração entre professores da classe, professora da Educação Especial e estagiária no planejamento das aulas, dos conteúdos, com a inserção no notebook para um dos alunos; o uso das pranchas de comunicação, por ambos os alunos e seus interlocutores, como ação inovadora nos contextos escolares; a realização de atividades pelos alunos, com gradativa autonomia, a partir da disponibilização de recursos de TA/CAA (pasta de conteúdos temáticos, figuras imantadas, quadro metálico, ponteira, plano inclinado, notebook); a proposição de ações intencionais de alfabetização, a partir da reorganização de espaços-tempos no cotidiano da escola. Conclui que as discussões teóricas e práticas das questões relacionadas com a linguagem, com os processos cognitivos e com o uso de recursos de TA/CAA alavancam mudanças na concepção dos profissionais das escolas pesquisadas que, ainda, sob uma visão reducionista quanto às formas de comunicação e de interação verbal, “impõem” limites à escolarização dos alunos com deficiência.
This study aims at analyzing the contributions of Augmentative and Alternative Communication (AAC) to communicative processes of students with speech disorders in the school setting. It highlights the potentiating role of interlocutors in this process. The investigation is grounded on language approach and the notion discussed by Bakhtin and the contributions of Vygotsky on the relationship between development and learning, positing that language acquisition and development take place during learning, during all the life. The analyses and reflections employed show a discussion about language that departs from an organic dimension towards a dimension of the individual as human being. From this perspective, other concepts such as language, speech, verbal interaction, dialogism, enunciation, learning and development are questioned and also considered fundamental elements that are present in the communicative relations between individuals with speech disorders and their interlocutors. During the first stage, the study seeks to understand organizational-pedagogical methods of five Municipal Education Secretariats in the Metropolitan Area of Vitoria, ES, Brazil and of the State Education Secretariat regarding identification of students with Cerebral Palsy with speech impairment; technical-pedagogical supervision and special education teacher training. In the second stage, the goal is understand the process of pedagogical practice organization instituted in school settings and investigate communicative processes of/with two students with serious motor and speech impairments in two Elementary Schools located in the municipalities of Serra and Vitoria, ES, Brazil. During this stage, the study opted for collaborative critical action research because it contributes theoretically and methodologically to support individual and collective actions in the investigation settings. The results show that, institutionally, the number and identity of students with cerebral palsy with speech disorders are still unknown in the context where their real needs emerge. Municipal Education Secretariat managers attribute this disinformation to the fact that data are generally obtained only from Educacenso-INEP. Localized identification of students with these disabilities derive from inside strategies adopted. One of them is pedagogical assistance to schools. As far as teaching, learning and assessment are concerned, the study verifies that they are permeated by mistaken notions about individuals with cerebral palsy, which is mainly supported by the low expectation from and little effort towards education of these individuals. It is also observed that the use of AAC resources potentiates communicative processes of the students investigated and, pushed by language, they are allowed to express themselves, give opinions and make decisions, which will grant them autonomy and fluency. Mediation by interlocutors as well as the dialogic dynamics they adopt with students constitute important elements in the communication and interaction processes. Waiting for the other, support and encouragement to rephrase what one means, modification and alteration in the dialogic game are examples of this mediation. Concerning actions to reorganize pedagogical practice, the study records more interaction and collaboration between main teacher, Special Education teacher and student-teacher to plan classes and contents after the laptop computer to each student was introduced; the use of communication flashcards by both students and their interlocutors as innovation in school settings; performance of activities by students, with gradual autonomy after TA/AAC resources were made available (folder with theme contents, magnetic pictures, metallic board, pointer, inclined plane, laptop); proposal of intentional literacy action by reorganizing space- time in school everyday life. The study concludes that theoretical and practical discussions of questions related to language, cognitive processes and use of TA/AAC resources boost changes in school professionals’ concepts. From a reductionist perspective towards communication and verbal intervention, these professionals still "impose" limits to education of students with disabilities.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1083
Appears in Collections:PPGE - Teses de doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese.Vasti Goncalves.texto.pdf2.7 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons