Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1151
Title: As relações sons e letras e letras e sons em livros didáticos de alfabetização (PNLD 2010) : limitações e desafios ao encontro de uma abordagem discursiva de linguagem
metadata.dc.creator: Alcântara, Regina Godinho de
Issue Date: 2014
Abstract: Este estudo teve como foco inicial de investigação o modo como livros didáticos de alfabetização propõem o estudo das relações entre sons e letras e letras e sons, e como essa dimensão se articula (ou não) a uma concepção de alfabetização que toma o texto como unidade de ensino. Caracteriza-se como uma pesquisa de cunho documental, trazendo para estudo produções acadêmico-científicas acerca da temática de investigação, tendências teóricas no estudo da alfabetização, o processo histórico da política de avaliação de livros didáticos no Brasil, o Guia de livros didáticos – PNLD 2010 – letramento e alfabetização – língua portuguesa – 2009 e duas coleções de livros didáticos de alfabetização, quais sejam: A Escola é Nossa – Letramento e Alfabetização Linguística; e Porta Aberta – Letramento e Alfabetização Linguística, avaliadas e selecionadas pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), na edição de 2009, para o ano letivo de 2010. Assume a hipótese de que a proposta de trabalho com as relações sons e letras e letras e sons trazida pelos livros didáticos de alfabetização, no contexto do letramento, por não tomar o texto como unidade de ensino, acaba por criar obstáculos para a própria compreensão dessas relações pelos estudantes. Toma como princípios teóricos e metodológicos a abordagem bakhtiniana de linguagem, bem como a concepção de alfabetização que baliza este estudo (GONTIJO; SCHWARTZ, 2009). Conclui que, ao não trazer os textos (gêneros discursivos) como enunciados, indiferentes à alternância dos sujeitos do discurso, os livros analisados, não obstante as poucas diferenças existentes entre um e outro, que se referem mais especificamente a informações que tangem à linguística, vão ao encontro de uma concepção de linguagem como um sistema de normas que devem ser anteriormente internalizadas pelo estudante para que este possa proceder à leitura e à escrita. Tratam, pois, a língua materna como uma língua estrangeira ou morta, como se esta fosse estática, permanecendo imune à evolução histórica. O estudo corroborou a hipótese de investigação, uma vez que, desconsiderando e/ou desconhecendo o aspecto dialógico do enunciado, os livros analisados minimizam a possibilidade da instauração de uma abordagem discursiva de linguagem, o que incide no tratamento das relações sons e letras e letras e sons que acabam por apresentarem-se dicotomizadas do texto e seu contexto discursivo e, dessa forma, sua reflexão e sistematização pelos estudantes distancia-se de um estudo dessas relações no bojo dos aspectos sócio-históricos, ideológicos, linguísticos, estilísticos, dentre outros que perpassam seu ensino. Logo, por não propiciarem um tratamento discursivo da linguagem, pouco contribuem para um tratamento “linguístico” adequado, acabando por criar obstáculos para a compreensão dessas relações pelos estudantes. Entende que conhecimentos linguísticos, principalmente referentes às variedades linguísticas e dialetais, tornam-se importantes quando da abordagem dessas relações, entretanto, estes por si sós não garantem sua apropriação. Ressalta o necessário conhecimento por parte dos professores (e autores) acerca da abordagem linguística tomada pelo livro didático de alfabetização e o resgate da autoria docente diante do ensino da língua materna, instaurando um processo autoral-dialógico da produção de conhecimentos junto aos estudantes.
This study has as initial focus of investigation the way literacy textbooks propose the study of relationships between sounds and letters and letters and sounds , and how this dimension is articulated (or not) to a conception of literacy that takes the text as a teaching unit. It is characterized as a search for documentary stamp, bringing to study academic and scientific production about the theme of research, theoretical trends in the study of literacy, the historical process of the evaluation of textbooks policy in Brazil, the Quick textbook - PNLD 2010 - literacy - Portuguese (2009) and two collections of literacy textbooks, which are: The School is Ours - literacy and language, and Open Door - literacy and linguistics, both evaluated and selected by the National Program Textbook (PNLD), in the 2009 edition, for the 2010 school year. Assume the hypothesis that the proposed work with the sounds and letters and letters and sounds brought by literacy textbooks in the context of literacy, by not taking the text as teaching unit, ends up creating obstacles for the proper understanding of these relationships by students. Takes as theoretical and methodological principles Bakhtin's approach to language as well as the conception of literacy that guides this study (GONTIJO; SCHWARTZ, 2009). Concludes that by failing to bring the texts (speech genres) as set out, indifferent to the alternation of subjects of the speech, the books analyzed, despite the few differences between them, which specifically refers to information that concern the linguistic, will meet a conception of language as a system of rules that must be previously internalized by the student so that he can proceed to reading and writing. Treat then the mother tongue as a foreign or dead language, as if it were static, remaining immune to historical evolution. The study confirmed the research hypothesis, since disregarding and/or ignoring the dialogical aspect of the utterance, the books analyzed minimize the possibility of introduction of a discursive approach to the language, which focuses on the treatment of sounds and letters and letters and sounds relationships that eventually present themselves dichotomized from the text and its discursive context and thus its reflection and systematization by students distance themselves from a study of these relationships in the midst of the socio-historical, ideological, linguistic, stylistic aspects, among others that permeate their teaching. Therefore, by not offering a discursive treatment of language, they contribute little to an appropriate "linguistic" treatment, eventually creating obstacles to the understanding of these relations by students. Believes that linguistic knowledge, especially relating to language and dialectal varieties become important when the approaches of these relationships happen, but these alone do not guarantee its appropriation. Emphasizes the knowledge needed by teachers (and authors) about the linguistic approach taken by the textbook and the rescue of teaching and authorship on the teaching of the mother tongue, introducing an authorship-dialogical process of production of knowledge with students.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1151
Appears in Collections:PPGE - Teses de doutorado



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons