Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1187
Title: A imagem a ser consumida : política visual, imaginação espacial e as estéticas dos vídeos turísticos no estado do Espírito Santo
metadata.dc.creator: Oliveira, Fabianne Torres
Issue Date: 2014
Abstract: Atreladas a uma estética própria e “efeitos de verdade” (PELLEJERO, 2008), as videografias turísticas acabam por compor linguagens fartamente informativas sobre aquilo que se quer dizer sobre os lugares. Suas cenas são as apontadas para propagandear uma imagem a ser consumida, delas esperam-se o melhor ângulo a ser fotografado, experiências únicas e roteiros alternativos e naturais para se conhecer o lugar. Sendo assim, são as imagens turísticas, na atualidade, linguagens potentes para se entender as narrativas sobre os lugares, suas imaginações espaciais, bem como as construções de ficções sobre determinada realidade. Uma vez envolvidas as produções de ficções hegemônicas, os vídeos turísticos e as imaginações espaciais que temos deles podem promover modos cristalizados de se pensar o espaço; distanciando-se dos propósitos de entender o espaço a partir das suas conexões-desconexões e multiplicidade de trajetórias (MASSEY, 2008). Nesse contexto, essa pesquisa tem como objetivo principal discutir como os vídeos turísticos, em especial dois vídeos da atual campanha da Secretaria de Turismo do Espírito Santo, “Descubra o Espírito Santo”, apresentam uma imaginação espacial. Também seguem como interesse: refletir e analisar a política visual e a estética das videografias turísticas; entender e analisar a produção de uma ficção para construção e mobilização de uma imaginação espacial e estudar autores e produções videográficas que se dedicaram a pensar possibilidades outras de mobilizar e desterritorializar uma imaginação espacial e as estéticas videográficas.
Attached to their own aesthetics and "effects of truth" (PELLEJERO, 2008), the tourist videographies end up creating vastly informative languages on what one wants to say about the place. Its scenes are appointed to propagating an image to be consumed, and from them it's expected the best angles, unique experiences and alternative and natural scripts to know the place. So the tourist images, nowadays, are powerful languages to understand the narratives about the places, theirs spatial imaginations, as well as the construction of fictions about a certain reality. Once involved in the production of hegemonic fictions, tour videos, and spatial imaginations that we have from them, can promote crystallized ways of thinking about space, moving us away from the purposes of understanding the space and its connections, disconnections and multiplicity of trajectories (MASSEY, 2008). In this context, this research aims to discuss how touristic videos, in particular two videos from the current campaign of the Department of Tourism of the State of Espírito Santo, "Descubra o Espírito Santo", have a particular kind of spatial imagination. Also follow as interest: Understand and analyze the visual politics and aesthetics of tourist videographies; Understand and analyze the production of a fiction that builds and mobilizes a spatial imagination and; study authors and videographic productions that have dedicated themselves to think of other possibilities to mobilize and deterritorialise a spatial imagination and videographic aesthetics.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1187
Appears in Collections:PPGGEO - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao.Fabiane Torres Oliveira.texto completo.pdf2.37 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons