Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1327
Title: Angola, jeje e ketu : memórias e identidades em casas e nações de candomblé na Região Metropolitana da Grande Vitória (ES)
metadata.dc.creator: Batista, Milena Xibile
Issue Date: 30-Mar-2015
Abstract: Angola, jeje e ketu: Memórias e identidades em casas e nações de candomblé na Região Metropolitana da Grande Vitória (ES), que é o tema desta dissertação, requer adentrar em análises de categorias nativas do povo de santo, e, em seguida, passar a questões teóricas sobre esses temas. Na cidade de Serra encontram-se as quatro casas de santo onde a pesquisa de campo foi realizada com três iyalorixás e um babalorixá, que dividem suas memórias e experiências religiosas compondo um exercício teórico sobre a história e a formação do candomblé no Espírito Santo. Nesse estado, que não é referência dessa religião, a mesma encontra-se em ascensão. A preocupação dos integrantes das comunidades de terreiros é transformar parte das tradições orais em produção escrita. Tendo em vista os processos políticos de reconhecimento legal da diversidade cultural, o debate se deu em torno de hibridização e múltiplas formas de identidade. O universo encantador e mágico do candomblé é composto pelos toques dos atabaques, danças rituais e fé em forças da natureza. Os “filhos da diáspora africana” trazidos para o Brasil eram de várias regiões da África, o que nos permite entender a diversidade cultural que marca esses grupos. Em função do sincretismo entre as próprias religiões de matriz africana e delas com o catolicismo e as doutrinas espiritualistas, essas religiões encontram-se de norte a sul do país. Este encontro de crenças e rituais é tão evidente que já não dizemos religiões “africanas” e sim religiões “afro-brasileiras”. O candomblé, desde o seu surgimento, vem sendo criado e recriado pela transmissão de suas tradições e ritos. A tradição oral nas comunidades de terreiro é um dos elementos demarcadores da construção da sua identidade, a partir de uma organização interna e do aprendizado hierarquicamente transmitido pelos depositários do saber, seguindo uma ordem de senioridade de iniciação, os antigos são detentores dos saberes e segredos. Por ser uma religião iniciática, o aprendizado ocorre permanentemente, em especial o da língua ritual, onde o exercício e o contato levam a transmissão cultural. O povo de santo reconstrói uma ligação com uma comunidade imaginada que remonta a África e desenvolve relações de parentesco ficcional entre os membros das comunidades de terreiro e forma uma família de santo e de axé.
Angola, jeje and ketu: memories and identities at homes and nations of candomblé in the metropolitan area of Grande Vitória (ES), which is the subject of this dissertation, requires entering in the analyses of the native categories of the people of saint (povo de santo), and then pass the theoretical questions on these subjects. In the city of Serra there are the four “saint’s houses” (casas de santo) where the field research was carried out with 3 iyalorixás and 1 babalorixá, who share their memories and religious experiences writing a theoretical exercise about the history and formation of candomblé in Espírito Santo. In this state, which is not reference of this religion, this is on the rise. The concern of yards’ (terreiros) member comumunities is to transform part of the oral traditions in writing production. In the view of the political processes of legal recognition of cultural diversity, the debate took place around hybridization and multiple forms of identity. The charming and magical universe of candomblé is made by sounds of conga drums, dances, rituals and faith in forces of nature. The "sons of African diaspora" brought to Brazil were from various regions of Africa, which allows us understand the cultural diversity that marks those groups. On the basis of the syncretism between their own religions of African origin and the syncretism with Catholicism and spiritual doctrines, these religions are found from North to South of the country. This meeting of beliefs and rituals is so obvious that it is no longer said "African religions" but "Afro-Brazilian religions." Candomblé, since its emergence, has been created and recreated by the transmission of their traditions and rites. The oral tradition in the yards’ communities is one of the elements of their identity-building paths, from an internal organization and learning hierarchically transmitted by the depositories of knowledge, following an order of seniority of initiation, the old ones are the keepers of knowledge and secrets. Being an initiatory religion, learning occurs permanently, in particular the ritual language, where the exercise and the contact lead to cultural transmission. The “people of the saint” reconstructs a connection with an imagined community that dates back to Africa and develop relations of kinship among the fictional members of yards’ communities and form a saint’s family and axé.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1327
Appears in Collections:PPGCSO - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação Milena Xibile Batista.pdfTexto completo8.58 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons