Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1417
Title: Para uma sócio-história da língua Guarani no Espírito Santo : uma análise sob a perspectiva sociolinguística
metadata.dc.creator: Calazans, Poliana Claudiano
Issue Date: 2014
Abstract: Estima-se que restam hoje cerca de 50 mil índios Guarani no Brasil, que se situam, principalmente, na faixa litorânea que vai desde os estados do sul até o território capixaba, o Espírito Santo. Considerando que essa comunidade se mantém bilíngue, o presente trabalho objetiva discutir se, na situação de contato entre o Guarani e o Português, a primeira língua está ou não cedendo lugar à segunda. Para alcançar esse objetivo, foi formado um banco de dados de fala por meio de entrevistas realizadas nas aldeias, que versaram sobre as tradições históricas, a família, a religião, a economia e o meio ambiente – aspectos considerados por eles como as principais armas de resistência desse povo. A análise tomou por base os pressupostos da Sociolinguística/Contato Linguístico, com teóricos como Weinreich (1953), Fishman (1968; 1972), Appel e Muysken (1996), Coulmas (2005) e outros, que discutem temas pertinentes à pesquisa em questão: o contato linguístico e a manutenção/substituição de línguas minoritárias. Acredita-se que, apesar do contato com o português pela venda de artesanatos, pela mídia e pela atuação da escola e sua ação integralizadora, prevista pelo Estatuto do Índio, o Guarani mantém a sua língua materna - ainda que estigmatizada - devido à forte religiosidade que norteia todo o seu modo de vida. Ele entende a palavra como um dom e confere a ela um poder mítico de conexão com o mundo espiritual, o que, ao mesmo tempo, confere extrema importância à língua minoritária e favorece a sua preservação, enquanto marca importante da cultura e identidade desse povo.
It is estimated that there are about 50 thousand Indians from the Guarani tribe in Brazil and they are situated mainly in the coastal area of the southern states until the capixaba territory in Espírito Santo. Considering that this community keeps itself bilingual, the present work has the objective to discuss the sociolinguistic factors that led up to the maintenance of the Guarani language in the spoken Portuguese. In order to reach that objective, a corpus was created based on interviews made in the villages ranging from historic traditions, family, religion, economy and the environment (these aspects were considered by them as the main weapons against the resistance of this people). The analysis was based on the assumptions of sociolinguistics and linguistic contact, by theorists like Weinreich (1953), Fishman (1968; 1972), Appel e Muysken (1996), Coulmas (2005) among others, who discussed pertinent subjects related to the research: the linguistic contact and the maintenance/substitution of minority languages. It was also believed, that besides the contact with the Portuguese language by the commercialization of handicrafts, by the media and by the co-operation of schools aiming to integrate them, laid down by the Indian Statute, the Guarani people maintains its mother-tongue, even if it's stigmatized due to the strong religious beliefs that guide their way of living. They understand the word as a gift and give a mythic power to it, a power that connects the spiritual world, which gives extreme importance to this minority language and favors its preservation as an important imprint of their culture and their identity.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1417
Appears in Collections:PPGEL - Dissertações de mestrado



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons