Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1473
Title: Constituição do campo sensível : apegos, renúncias e liberdade – uma contribuição da filosofia budista
metadata.dc.creator: Souza, Carlos Henrique Amaral de
Issue Date: 2012
Abstract: Esta dissertação foi construída em interface com a tradição oral milenar da filosofia budista, respeitando um estilo tradicional dos ensinamentos em sua transmissão oral. Por meio da perspectiva de uma "filosofia prática", constitui-se uma metodologia onde as questões se desdobram em reflexões e ideias encadeadas, o que permite contemplar um tema de vários ângulos, tendo por fio norteador os ensinamentos budistas da linhagem Sakya, que orientam uma postura ética para a vida cotidiana. Abordam-se as "orientações para o viver" contidas nos ensinamentos com ênfase no domínio da mente, da motivação e da intenção da ação humana. Para a realização desse exercício ético, que transforma o campo da educação – processo de ensino e de aprendizagem – e o da produção de conhecimento – constituição de saberes sobre si e sobre o mundo –, a prática da meditação se coloca como delineadora de novos contornos para o pensar, o sentir e o agir, o que se evidencia por meio do ensinamento clássico “ Libertando-se dos Quatro Apegos”, referência central para este trabalho. Nesta perspectiva, a meditação é abordada como campo da experiência, como um método com o qual podemos viver a “não separatividade de sujeito-corpo-mente”. A importância da meditação para um processo de criação de experiências constitutivas de um estar desperto. Este despertar se faz por meio de práticas onde “nós somos a experiência da mente”, “nós somos a mente em si”, e a prática da meditação nos propicia essa experiência. A experiência de "estar presente em cada momento" pode nos levar ao domínio de nós mesmos, ao reconhecimento do outro como ser humano que também somos, e ao desenvolvimento da compaixão por todos os seres. Por meio desse processo podemos reconhecer o estado Búdico, ou melhor, o estado de Budeidade que todos temos em potencial. Budha é uma potência em nós, potência de desenvolvermos compaixão equânime para com todos os seres E podemos fazer isso reconhecendo dois aspectos importantes: os quatro apegos que nos aprisionam e a maneira de nos libertarmos deles para trilhar o caminho desperto
This essay has been written based on an interface with the millennial oral transmission of the Buddhist philosophy. Through the perspective of a “practical philosophy”, we constitute a methodology in which the matters unfold revealing intermingled reflections and ideas, with the intent of contemplate a topic and its several different angles, based on the Buddhist teachings of the Sakya lineage, which lead us to an ethical posture for the everyday life. We cover “guidelines for life” present on the teachings emphasizing mind control, the motivation and the intentions of the human action. In order to accomplish this ethical exercise, capable of transfor ming education itself – the teaching and learning process – and also the knowledge acquirement – the constitution of knowledge about oneself and the world -, the practice of meditation finds its way as the outliner of new aspects for the thinking, feeling and acting processes, which is highlighted through the classical teaching on “Parting from the Four Attachments”, a key reference to our work. On this perspective, we discuss meditation as a field of the experience, a method through which we may live the “non-separation of subject-body-mind”. The importance of meditation for the creation of a constitutive experience process to the awakening state of mind. Whatever we do through practices in which “we are the experience of our minds”, “we are the mind itself”, and the practice of meditation provides us with this experience. The experience of “being present in each moment” may lead us to a state in which we can control ourselves, the recognition of others as human beings which we all are and the development of compassion for all beings. Through this process, we may recognize the Buddhic state, or better yet, the Buddheity state which we all potentially have. Buddha is a power within us, a power of developing equanimous compassion for all beings and we may do that by recognizing two important aspects: the four attachments which imprison us and the way we get rid of them to walk the awakened way
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1473
Appears in Collections:PPGPSI - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Constituicao do campo sensível apegos, renúncias e e liberdade uma contribuição da filosofia budista.pdfTexto completo1.24 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons