Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1544
Title: Trabalho imaterial e a teoria do valor : uma análise da produção de conhecimento na sociedade capitalista
metadata.dc.creator: Moura, Pollyana Paganoto
Keywords: Conhecimento e aprendizagem;Karl Marx, 1818-1883;Valor (Economia);Teoria do trabalho imaterial
Issue Date: 2015
Abstract: Esta pesquisa tem por objetivo discutir a problemática central existente entre a teoria do valor de Karl Marx e a chamada ―teoria do trabalho imaterial‖. Refere-se essa divergência à tese da superação da teoria do valor trabalho de Marx para compreensão da atual dinâmica do modo de produção capitalista, que para alguns, encontra-se hoje sob a égide da produção imaterial. Segundo os autores alinhados a essa corrente, como André Gorz, Antônio Negri e Mauricio Lazzarato, por ser essa produção repleta de caráteres subjetivos e, portanto irreprodutíveis, torna-se impossível estabelecer uma relação entre seu preço e o tempo de trabalho dispendido para sua reprodução. Logo, a teoria marxista do valor torna-se insuficiente para subsidiar as análises desse novo momento econômico. Nosso trabalho apresenta uma crítica a essa perspectiva, chegando à conclusão que a teoria do valor de Marx tem ainda enorme pertinência para análise das novas formas assumidas pelo capitalismo contemporâneo e que, principalmente, fornece as bases teóricas para a compreensão das temáticas referentes ao que se denomina imaterial. Para isso, avançamos em um aspecto central, que reside na constatação de que há uma incompreensão acerca da [verdadeira] natureza do imaterial, que podemos entender como toda ideia e elaboração intelectual humana. A não apreensão desse sentido faz com que aqueles autores vinculados à teoria do trabalho imaterial, incorram em dois equívocos essenciais: em primeiro lugar, essa confusão leva-os a classificar os setores produtores de serviços – muitos deles produtivos e materiais para Marx – como parte da produção imaterial. Revelamos dessa forma, como a determinação dos preços desses serviços ainda se assenta sobre a magnitude de seus valores. Em segundo, há um desconhecimento da verdadeira forma de produção desse imaterial – a produção do conhecimento – e de como se determina seu preço. Assim, à luz da teoria de Marx, é possível perceber que o conhecimento em si não é criador de riqueza e que sua remuneração ocorre por meio da apropriação de parcela do valor gerado na produção material, de forma semelhante ao que ocorre à renda da terra, de modo que a compreensão de sua dinâmica só é possível a partir da categoria marxista do valor.
This research aims to discuss the existing problems between the central theory of value of Karl Marx and the so-called "theory of immaterial labor". It refers to the thesis of this divergence overcoming Marx's labor theory of value to understand the current dynamics of the capitalist mode of production, which for some, is today under the aegis of immaterial production. According to the authors aligned to this current, as André Gorz, Antonio Negri and Maurizio Lazzarato, being this production full of subjective characters and thus irreproducible, it is impossible to establish a relationship between its price and the time spent in it‘s production. Hence, the Marxist theory of value becomes insufficient to support the analysis of the ―new‖ economic times. Our work presents a critique of this perspective and concludes that Marx's labor theory of value is still relevant to the analysis of the new forms taken by contemporary capitalism, and that it mainly provides the theoretical basis for understanding the issues related to it is called ―immaterial‖. In order to carry it out, we move forward in an central aspect, which lies at the realization that there is a misunderstanding about the true nature of the immaterial, understood as every idea and human intellectual development. The failure to grasp this meaning makes those authors linked to the theory of immaterial labor, incur in two basic misconceptions: first, this confusion leads them to classify the sectors producing services - many of them productive and materials for Marx - as part of immaterial production. We show that the pricing of these services is still based on the magnitude of their values. Second, there is a lack of understanding the form of production of immaterial - the production of knowledge - and how to determine its price. Thus, in the light of Marx's theory, one can see that knowledge itself is not wealth creator, and that its revenue is obtained through the appropriation of the share of the value generated in the material production, similarly to what happens to the ground rent so that understanding of its dynamics is only possible from the marxist value category.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1544
Appears in Collections:PPGECO - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Trabalho imaterial e a teoria do valor uma analise da producao de conhecimento na sociedade capitalista.pdfTexto completo1.62 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons