Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1579
Title: Respostas cardiopulmonares agudas ao exercício com Kettlebell
metadata.dc.creator: Fusi, Flor Bonadiman
Keywords: Oxigênio - Consumo;Aptidão física;Testes de função respiratória;Kettlebel
Issue Date: 2014
Abstract: Introdução: O kettlebell (KB) é uma ferramenta, de origem Russa, que vem sendo utilizada para trabalho de força, flexibilidade e potência. Trata-se de uma bola de ferro com uma alça. Existem poucos estudos que tratam das respostas cardiopulmonares envolvidas nesse tipo de esforço. Objetivo: Comparar as magnitudes do VO2 (Consumo de Oxigênio) e FC (Frequência Cardíaca) alcançados por meio dos exercícios com KB (swing e clean) em relação às respectivas respostas máximas e ao limiar anaeróbio ventilatório (LAV) de mulheres praticantes de KB; comparar o gasto calórico entre os dois exercícios, o comportamento das variáveis FC, VO2 e RTR (Razão de Troca Respiratória), e o ritmo de execução em função do tempo de teste (5 minutos). Métodos: Foram recrutadas 12 mulheres, treinadas há pelo menos seis meses em exercício com KB. Foi realizado um teste cardiopulmonar de exercício em esteira (TCPE), um teste de 5 minutos contínuos de exercício swing (com duas mãos) e um teste de 5 minutos de exercício clean, utilizando KB de 12 kg. Utilizou-se o teste t de Student para comparar a FC, VO2, e gasto calórico entre os dois exercícios. Por meio da análise de variância de uma via (ANOVA one way) comparou-se o VO2 no swing e clean com o VO2 no LAV. Foi utilizada análise de variância de duas vias com medidas repetidas (ANOVA) para comparar o comportamento das variáveis de VO2, RTR e FC a cada 20 segundos dos dois testes com KB e para comparar o ritmo de execução, seguida do post-hoc de Tukey (p<0.05). Utilizou-se o teste de correlação de Pearson para relacionar a variável VO2 com FC, por meio do programa Excel. Os dados são apresentados em média±desvio padrão (DP). Resultados: Não houve diferença entre o swing e o clean para o VO2 e FC e ambos os exercício apresentaram exigência suficiente (magnitude percentual) para estimular o sistema cardiopulmonar (VO2 a 75% e 77% do máximo e FC a 93% e 95% da máxima para swing e clean, respectivamente); ambas as respostas ficaram acima do LAV das participantes, com gasto calórico semelhante entre o swing e clean (40.0± 0.4 kcal). Quanto às respostas relativas ao comportamento não houve diferença entre o swing e o clean para as variáveis estudadas em nenhum momento do teste de 5 minutos, havendo diferença significativa apenas para o ritmo de execução dos exercícios (41±1 repetições por minuto-swing e 24±3-clean). Foi encontrada correlação significativa positiva forte entre o VO2 e a FC em ambos os exercícios. Conclusões: Os dados sugerem que tanto o swing quanto o clean apresentam estímulo agudo ao sistema cardiopulmonar suficiente para possíveis adaptações aeróbias crônicas; já que tiveram respostas acima do LAV das participantes, estando de acordo com a intensidade recomendada pelo Colégio Americano de Medicina do Esporte (ACSM) para a melhora da aptidão cardiorrespiratória.
Introduction: The kettlebell (KB) is a tool of Russian origin, which has been used for strength work, flexibility and power. It is an iron ball with a handle. There are few studies that address the cardiopulmonary responses involved in this kind of effort. Objective: To compare the magnitudes of VO2 (oxygen consumption) and HR (Heart Rate) achieved through exercises with KB (swing and clean) with respect to their maximal responses and ventilatory anaerobic threshold (VAT) of women engaged in KB; compare caloric expenditure between the two exercise, the behavior of the HR, VO2 and RTR variables (Respiratory Exchange Ratio), and the pace of implementation versus time test (5 minutes). Methods: Twelve women trained for at least six months in office with KB were recruited. Cardiopulmonary treadmill exercise test (CPTE), an ongoing test of 5 minutes of exercise swing (with two hands), and a 5-minute quiz to clean exercise using a 12 kg KB was performed. We used the Student t test to compare the HR, VO2 and energy expenditure between the two exercises. Through the analysis of variance (ANOVA one way) compared the VO2 on the swing and clean with VO2 in VAT. was used ANOVA two-way repeated measures (ANOVA) to compare the behavior of variables VO2, RTR and HR every 20 seconds of the two tests with KB and to compare the pace of implementation, followed by post-hoc Tukey test (p <0,05). We used the Pearson correlation test to relate the VO2 with HR variable through the Excel program. Data are presented as mean ± standard deviation (SD). Results: There was no difference between the swing and clean for VO2 and HR and both had enough exercise requirement (percentage magnitude) to stimulate the cardiovascular system (VO2 at 75 % and 77 % of HR max and 93% and 95 % of for maximum swing and clean, respectively); both responses were above the VAT of participants with similar caloric expenditure (40.0 ± 0.4 kcal). As for the answers concerning the behavior did not differ between the swing and clean for the variables at any time of the 5- minute test, significant difference only for the pace of implementation (41 repetitions per minute ± 1 and 24 ± swing - 3- clean). Strong positive correlation was observed between VO2 and HR. Conclusions: The data suggest that both the swing and the clean present with acute cardiopulmonary system stimulating enough for possible chronic aerobic adaptations; since responses were above the VAT of participants, being in agreement with the intensity recommended by the American College of Sports Medicine (ACSM) for improving cardiorespiratory fitness.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1579
Appears in Collections:PPGEF - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RESPOSTAS CARDIOPULMONARES AGUDAS AO EXERCÍCIO COM KETTLEBELL.pdf1.43 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons