Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1622
Title: Descrição fonética e fonológica do pomerano falado no Espírito Santo
metadata.dc.creator: Schaeffer, Shirlei Conceição Barth
Keywords: Língua de imigração;Pomerano;Fonética;Fonêmica
Issue Date: 2012
Abstract: O estado do Espírito Santo recebeu imigrantes advindos da extinta Pomerânia, que compreendia partes das atuais Alemanha e Polônia, a partir de 1859 e se dirigiram para a Colônia de Santa Leopoldina. Atualmente, os descendentes de pomeranos estão concentrados em quatorze municípios capixabas formando uma área contígua que abrange a região serrana ao norte do estado (TRESSMANN, 2005). Esses descendentes ainda preservam traços culturais e a língua dos antepassados, tanto que muitos aprendem o português posteriormente, em idade escolar. Apesar de ser muito falado em vários municípios capixabas, o pomerano não possui descrição linguística satisfatória. Sendo assim, surge o interesse em descrever o sistema fonético dessa língua, no intuito de compreender a sua organização sonora e, posteriormente, inferir sobre possíveis processos de transferência de traços fonéticos do pomerano para o português entre os falantes bilíngues. Para a realização dessa pesquisa, adotamos o modelo fonêmico de Pike (1947), de base estruturalista. O corpus é constituído de 600 palavras isoladas entre quatro falantes (um homem e três mulheres) que possuem o pomerano como Língua Materna, residentes no município de Santa Leopoldina/ES. Os fones consonantais e vocálicos foram distribuídos em uma tabela fonética, seguindo a classificação articulatória. Em seguida, os fonemas foram definidos e fez-se uma análise da estrutura silábica dessa língua de imigração. Por fim, fez-se necessário uma análise acústica das oclusivas surdas e sonoras do pomerano. Concluiu-se que essa língua possui 18 fonemas consonantais e 13 fonemas vocálicos, bem como as oclusivas surdas possuem aspiração e as sonoras possuem um índice médio de VOT próximo às oclusivas surdas do Português Brasileiro.
Since 1859 the state of Espirito Santo received immigrants from the extinct Pomeranian, which included parts of current Germany and Poland. Initially, they went to Santa Leopoldina Colony. Nowadays, the descendants of Pomeranians are concentrated in fourteen places in Espirito Santo forming a contiguous area on the mountainous regions to the north of the state (TRESSMANN, 2005). These descendants still preserve Pomeranian cultural characteristics and the language of their ancestors, so that many descendants learn the Portuguese language at school. Although the Pomeranian language is widely spoken in different places of the state, it does not have a satisfactory linguistic description. Thus, there is interest in describing the phonetic system of this language, so as to understand its sound structure and then make inferences about possible transfer processes of phonetic features from Pomeranian to Portuguese in bilingual speakers. To carrying out this research, we have adopted Pike’s phonemic model (1947). The corpus consisted of 600 words spoken by four speakers (one man and three women), who have the Pomeranian as their mother tongue and are residents in Santa Leopoldina-ES. The consonantal and the vocalic phones were distributed in a phonetic table according to their articulatory description. Then, the phonemes were defined and an analysis of the syllabic structure was made. Finally, an acoustic analysis of the Pomeranian stop consonants was made. Based on these analyses, we concluded that this language has 18 consonantal phonemes and 13 vocalic phonemes. Besides, the voiceless stops are aspirated and the voiced stops have a VOT mean close to the Brazilian Portuguese voiceless stops.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1622
Appears in Collections:PPGEL - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DESCRIÇÃO FONÉTICA E FONOLÓGICA DO.pdf1.27 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons