Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1703
Title: Educação, currículo escolar e violência simbólica : um estudo de caso sobre adolescentes atendidos pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social–CREAS/ES (2010-2014)
metadata.dc.creator: Machado, Rosely Maria Aparecida
Keywords: Currículos;Adolescentes e violência;Educação;Ciência política;Medidas socioeducativas
Issue Date: 2015
Abstract: Esta dissertação inscreve-se no debate sobre educação e política, voltado para análise da relação entre educação, currículo escolar e violência simbólica, na perspectiva do adolescente entre 12 e 17 anos que cumpre medida socioeducativa no Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS de Vitória (ES). Tem por objetivo analisar e refletir sobre a inadequação curricular no que se refere às expectativas desses adolescentes. A hipótese sustentada é que há inadequação curricular de um modo geral e, em particular, para atender à condição dos alunos em cumprimento de medida socioeducativa. A pesquisa demonstra que existe uma discrepância grande entre a regulamentação das medidas e a prática no cotidiano escolar desses adolescentes, e um dos grandes entraves para essa adequação é a ausência de protagonismo, ou seja, os professores que trabalham com esses adolescentes e o próprio adolescente não foram ouvidos para a formulação das propostas. Resultado disso é uma escola totalmente desinteressante para esses adolescentes e ineficaz do ponto de vista pedagógico. Teoricamente, o fio condutor desta análise teve como base a violência simbólica a partir de Bourdieu e Passeron e as discussões feitas por Apple e Candau.
The present work is part of the debate on education and policy and is aimed at analyzing the relationship between education, school curriculum and the symbolic violence in the adolescent perspective of those who meet social-educational measures in the CREAS of Vitória (ES). It aims to analyze and reflect on the curriculum inadequacy in relation to the expectations of these adolescents. The supported hypothesis is that there is generally an inadequate school curriculum, mainly to meet the condition of those students who are under social-educational measures. The research shows that there is a large discrepancy between the regulation of measures and the practice in everyday school life of these adolescents. One of the major obstacles for this adjustment is the absence of leadership, that is, teachers who work with these young people, and the adolescents themselves have not been heard for the formulation of proposals. The result is a totally uninteresting school for them and also ineffective from a pedagogical point of view. In theory, the common theme in the analysis was based on the symbolic violence from Bourdieu and Passeron together with the discussions made by Apple and Candau.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1703
Appears in Collections:PPGHIS - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Educação, currículo escolar e violência simbólica um estudo.pdf10.21 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons