Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1827
Title: Fatores de risco associados às reações adversas a medicamentos antituberculose : uma revisão sistemática
metadata.dc.creator: Resende, Laíse Soares Oliveira
Keywords: Tuberculosis;Side effects;Antitubercular agents;Toxicidade de drogas
Abstract: Introdução: Os problemas relacionados à interrupção e ao abandono do tratamento da tuberculose culminam em aumento da morbimortalidade. A ocorrência de reações adversas a medicamentos (RAM) é apontada como um dos principais fatores relacionados. Objetivo: Identificar evidência científica disponível sobre os fatores de risco associados às reações adversas decorrentes do uso de medicamentos antituberculose. Métodos: Trata-se de uma revisão sistemática em que se buscou estudos sobre fatores de risco associados às reações adversas aos medicamentos antituberculose nas bases Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE), no período entre 1965 e 2013 e Literatura Científica e Técnica da América Latina e Caribe (LILACS), no período entre 1982 e 2013. Localizou-se 1389 artigos que passaram por uma triagem a partir da leitura dos títulos e resumos. A partir dessa análise, selecionou-se 85 estudos para serem lidos na íntegra. Ao final, 16 estudos foram incluídos na análise a partir dos critérios de elegibilidade adotados em cada etapa, que tiveram seus dados extraídos para os cálculos de Qui-quadrado, Mantel-haenszel, Odds ratio simples (OR) e combinada (ORc). Resultados: Os fatores de risco significantes para o desenvolvimento de RAM foram: idade (maior que 60 anos), esquemas de tratamento, alcoolismo, anemia, coinfecção pelo vírus da imunodeficiência humana ou vírus da hepatite, polimorfismo da N-acetiltransferase 2 (acetilador lento), além da deficiência de sódio, ferro e albumina. Enquanto as meta-análises evidenciaram que os fatores de proteção das RAM hepáticas são: sexo masculino (ORc=0,38; IC95%=0,20-0,72), idade >35 anos (ORc=0,38; IC95%=0,20-0,72), fenótipo acetilador rápido/intermediário da N-acetiltransferase 2 (ORc=0,41; IC95%=0,18-0,90). Conclusões: Há evidências para subsidiar o manejo de RAM antituberculose nos serviços de saúde pública.
Setting: The problems related to the interruption and the dropout of tuberculosis treatments lead to increased morbi-mortality. Drugs adverse effects are some of the main related reasons. Objective: To identify scientific evidence available about risk factors associated to adverse effects due to antituberculosis drugs usage. Design: A systematic review of studies about risk factors related to adverse effects of antituberculosis drugs selected in MEDLINE database from 1965 to 2013 and in LILACS database from 1982 to 2013. After screening papers by reading all titles and abstracts there were 1.389 approved papers. Based on this analysis, 85 papers were selected to be fully read. At the end, 16 papers were selected to be analyzed due to the eligibility criteria on each step, had their data extracted for calculation of Chi-square, Mantel-Haenszel, Odds ratio (OR) and combined Odds ratio (ORc). Results: Significant risk factors to the development of drugs adverse effects were: age over 60 years, treatment regimen, alcoholism, anemia, coinfection by human immunodeficiency or hepatitis viruses, phenotype slow acetylators of N-acetyltransferase 2 and the deficiency of sodium, iron and albumin. While, meta- analysis showed that protective factors of liver AED are: male (ORc = 0.38, 95%CI= 0.20 to 0.72), age > 35 years (ORc=0.38, CI95%=0.20 to 0.72), acetylator phenotype fast / intermediate of N-acetyltransferase 2 (ORc=0.41, 95% I= 0.18 to 0.90). Conclusion: There is evidence to support the management of antituberculosis AED in public health services.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1827
Appears in Collections:PPGASC - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_6767_2011_Laise.pdf1.57 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons