Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1977
Title: Efeito de diferentes agonistas de receptores galaninérgicos no núcleo dorsal da rafe de ratos expostos a modelos animais de ansiedade e pânico
metadata.dc.creator: Morais, Juliana da Silva
Keywords: Galanina;Ansiedade;Labirinto em T elevado;Receptor para GAL tipo 2;Receptor para GAL tipo 1;NDR
Abstract: A galanina (GAL) é um peptídeo presente no SNC de vários mamíferos, inclusive do homem. Foram clonados 3 receptores diferentes para a GAL, GALR1 e GALR3, inibitórios, e GALR2, excitatório. A distribuição da GAL em estruturas envolvidas com o controle das emoções, assim como estudos comportamentais sugerem que a GAL esteja envolvida na neurobiologia da ansiedade. O seu efeito parece depender tanto do sítio de administração quanto do subtipo de receptor envolvido. O núcleo dorsal da rafe (NDR) destaca-se pela presença de neurônios serotoninérgicos, importantes para mediar o efeito antidepressivo de diversos fármacos. Cerca de 40 % dos neurônios do NDR co-expressam serotonina (5-HT) e GAL. A ativação de GALR1 pelo peptídeo nessa estrutura diminui a taxa de disparo dos neurônios serotoninérgicos no NDR. Resultado prévio do nosso laboratório mostrou efeito ansiolítico da GAL intra-NDR de ratos expostos ao Labirinto em T elevado (LTE), mas nenhum efeito na fuga, relacionada ao pânico. Uma das limitações do modelo utilizado é que a fuga (latência para deixar o braço aberto) normalmente ocorre em poucos segundos, de forma que detectar o efeito panicogênico (menor latência de fuga) pode ser difícil. Dessa forma, um dos objetivos do presente estudo foi investigar o efeito da GAL intra-NDR de ratos em outro modelo experimental de pânico, a estimulação elétrica da matéria cinzenta periaquedutal dorsal (MCPD), mais sensível à detecção do efeito panicogênico. Além disso, considerando a existência de diferentes subtipos de receptores galaninérgicos (GALR1 e GALR2) no NDR com mecanismos de transdução opostos, inibitório e excitatório, respectivamente, é possível que a ativação de receptores GALR1 seja responsável por mediar o efeito ansiolítico/panicogênico, enquanto a ativação dos receptores GALR2 induza efeito ansiogênico/panicolítico. Nesse sentido, testamos essa hipótese usando um agonista seletivo para GALR1 (M617) e um agonista seletivo para GALR2 (AR-M1896) no NDR de ratos expostos ao LTE. A administração de M617 intra-NDR facilitou a esquiva inibitória nas doses de 1,0 e 3,0 nmoles, sugerindo um efeito tipo-ansiogênico, enquanto a administração do AR-M1896 intra-NDR na dose de 3,0nmoles prejudicou a esquiva inibitória, sugerindo um efeito tipo-ansiolítico, ambos sem alterar a atividade locomotora dos animais testados no campo aberto. Esses resultados são contrários à hipótese inicial. Também não foi observado efeito dessas drogas no comportamento de fuga do LTE. Posteriormente, foi testado o WAY100635 com o objetivo de verificar se a administração prévia deste antagonista 5-HT1A seria capaz de bloquear os efeitos observados com o agonista GALR2 nos animais submetidos ao LTE. O efeito ansiolítico do AR-M1896 foi atenuado pela administração prévia do WAY100635, na dose de 0,18nmol. Portanto esses resultados sugerem uma relação entre o efeito observado com o AR-M1896, a liberação de 5-HT e a ativação de receptores 5-HT1A. E finalmente, a GAL, na dose de 0,3nmol, aumentou de modo significativo, mas discreto, os limiares de salto e trote dos animais submetidos à estimulação elétrica da MCPD, sugerindo efeito panicolítico. Os resultados, como um todo, apontam que a GAL no NDR participa da mediação de respostas comportamentais relacionadas à ansiedade e, de forma menos evidente, ao Transtorno de Pânico. Os resultados mostram, ainda, que o efeito da GAL na ansiedade nesse subnúcleo depende do subtipo de receptor galaninérgico ativado.
Galanin (GAL) is a peptide present in the CNS of various mammals, including human being. Three different receptors have been cloned for the GAL, GALR1 and GALR3, inhibitory, and GALR2, excitatory. The distribution of GAL in structures involved in the control of emotions, and behavior studies suggest that GAL may be involved in the neurobiology of anxiety. The effect seems to depend on both the GAL administration site as involved receptor subtype. The dorsal raphe nucleus (DRN) is distinguished by the presence of serotonergic neurons, important to mediate the antidepressant effect of several drugs. About 40% of the neurons of the DRN co-expressing serotonin and GAL. The activation of GALR1 in this structure decreases the firing rate of serotonergic neurons in the DRN. Previous results from our laboratory showed anxiolytic effect of GAL intra-DRN in rats exposed to the elevated T maze (ETM), but no effect on the escape, related to panic. One of the limitations of this model is that the escape (latency to leave the open arm) usually occurs within a few seconds, so that detect panicogenic effect (low latency escape) can be difficult. Thus, one aim of this study was to investigate the effect of intra-DRN rat GAL in another experimental model of panic, electrical stimulation of the dorsal periaqueductal gray matter (DPAG), more sensitive to detect panicogenic effect. Furthermore, given the existence of different subtypes of galaninergic receptors (GALR1 and GALR2) in the DRN with opposite transduction mechanisms, inhibitory and excitatory, respectively, it is possible that activation of GALR1 receptors is responsible for mediating the anxiolytic/panicogenic effect while activation of GALR2 receptors induces anxiogenic/panicolytic effect. Accordingly, we tested this hypothesis using a selective agonist for GALR1 (M617) and a selective agonist for GALR2 (AR-M1896) in the DRN in rats exposed to ETM. The administration of M617 1.0 and 3.0 nmol in the DRN facilitated inhibitory avoidance, suggesting an anxiogenic-like effect., while administration of AR-M1896 3,0nmoles in the DRN impaired the inhibitory avoidance, suggesting an anxiolytic-like effect, both without changing locomotor activity of animals tested in the open field. Also there was no effect of these drugs on the ETM escape behavior. Later, the pre-treatment with WAY100635 was tested in order to verify that administration of a 5-HT1A antagonist would be able to block the effects seen with GALR2 agonist in animals exposed to ETM. The anxiolytic effect of AR-M1896 was attenuated by the prior administration of WAY100635 at a dose of 0,18nmol. Therefore these results suggest a relationship between the observed effect with the AR-M1896, the release of 5-HT and activation of 5-HT1A receptors. And finally, the GAL 0,3nmol intra-DRN increased significantly the jumpping and trotting thresholds of animals submitted to electrical stimulation of the DPAG, suggesting a panicolytic effect. Together, the results show that the GAL in the DRN participates in the mediation of behavioral responses related to anxiety and, less clearly, to Panic Disorder. The results also shows that effect of GAL on anxiety depends galaninergic subtype receptor activated.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/1977
Appears in Collections:PPGBIO - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao Juliana Morais.pdf1.66 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons