Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2231
Title: A Escola Interrompida: uma Análise dos Discursos Imagéticos e Verbais Fenomenológico Existencial de Mulheres Que Abandonaram a Escola Prematuramente
metadata.dc.creator: JANTORNO, A. A.
Keywords: Abandono escolar;Discursos imagéticos;Fenomenologia
Issue Date: 20-Mar-2015
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: JANTORNO, A. A., A Escola Interrompida: uma Análise dos Discursos Imagéticos e Verbais Fenomenológico Existencial de Mulheres Que Abandonaram a Escola Prematuramente
Abstract: A escola interrompida: uma análise dos discursos imagéticos e verbais fenomenológico existencial de mulheres que abandonaram a escola prematuramente. Um problema assistido no mundo inteiro que se alarga por todos os anos como uma consequência cultural, econômica, política, social e de gênero. Esse fato é observado por um elevado índice de abandono escolar no nosso país como se nada pudesse ser feito, a não ser medir estatisticamente os dados e acompanhá-los em uma tarefa árdua de supervisioná-los para que não saiam do controle. A pesquisa busca identificar os diversos motivos (intrínsecos e externos) que levam as crianças e os adolescentes a abandonar o ambiente escolar. A questão de investigação se refere a um fenômeno: a questão do abandono escolar prematuro. Como os sujeitos envolvidos nessa questão percebem esse fato? Como isso se torna algo presente, manifesto, entendido, percebido e finalmente conhecido para esse sujeito? Como esse fenômeno é descrito pelo sujeito como uma experiência vivida? Como os desenhos e os discursos podem contribuir para a percepção do fenômeno abandono do ambiente escolar prematuramente? Para isso utiliza o método da fenomenologia descritiva. Esse método tem como princípio a máxima às coisas, por elas mesmas, proposta por Edmund Husserl (1859-1938). Trata-se de uma pesquisa fenomenológica e seus constructos, que reflete as percepções e significados vividos por sujeitos que abandonaram a escola prematuramente, a partir de suas próprias experiências e relatos. O foco desta pesquisa fenomenológica está no ser que abandona a escola. Em primeiro momento escolhi os sujeitos e apliquei uma técnica de imaginação ativa, depois simulei um ambiente escolar com merendas e músicas infantis para quatro mulheres com mais de sessenta anos que abandonaram a escola há cerca de trinta anos ou mais. Nas sessões de desenho apliquei a teoria de Heidegger, e chamei essa etapa de produção de protocolos fenomenológicos (PF) que foram a base de um questionário fenomenológico existencial, onde a pesquisa era permeada de perguntas com base em conceitos de Heidegger. A resposta de cada protocolo fenomenológico criado deveria ser por meio de discursos imagéticos ( desenhos) e verbais (fala) durante a produção dos mesmos. O resultado é uma emocionante pesquisa fenomenológica voltada para o aprofundamento do estudo desse tema: o abandono escolar prematuro e dos nossos próprios abandonos.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2231
Appears in Collections:PPGE - Teses de doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_8714_Tese 4_correta.pdf4.79 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.