Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2324
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorARAUJO, V. C.
dc.date.accessioned2016-08-29T11:11:43Z-
dc.date.available2016-07-11
dc.date.available2016-08-29T11:11:43Z-
dc.identifier.citationTEIXEIRA, A. M. A. P., Os olhares das crianças sobre a cidade de Vitória-ES: a escola como um ponto de partidapor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/2324-
dc.format.mediumtexten
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleOs olhares das crianças sobre a cidade de Vitória-ES: a escola como um ponto de partidapor
dc.typemasterThesisen
dcterms.abstractEste estudo teve como objetivo investigar as experiências realizadas pelas crianças moradoras do bairro São Benedito, em suas relacionalidades com e nos espaços sociais da cidade de Vitória- ES. Considerou-se a escola como um ponto de partida e de análise da conjuntura da cidade. A metodologia adotada foi de natureza qualitativa e tomou como base a cartografia, o que possibilitou acompanhar processos de subjetivação e criação de sociabilidades produzidas entre e com as crianças. Como referencial teórico utilizamos autores que defendem uma concepção de criança como autoras, sujeitos históricos, sociais, pertencentes a um espaço geográfico, capazes de se apropriar e de recriar culturas. Faz um diálogo ainda, com autores que problematizam a organização e as relações que se constituem nos espaços urbanos na contemporaneidade. Como resultado aponta algumas análises, destacando que a cidade de Vitória, apesar de sua pequena extensão geográfica, guarda muitas diferenciações em seus usos e apropriações pelas crianças das distintas classes sociais. Apesar dos olhares das crianças de São Benedito ter um amplo alcance sobre Vitória, os espaços de lazer da cidade são pouco acessíveis a elas. A escola exerce um papel importante na vida das crianças, contudo, sua forma de organização impõe modos de silenciamentos e negação das culturas infantis, que limita as possibilidades de reinvenção e participação. Nesse sentido, as crianças reivindicam espaços de encontros, de descobertas, de manifestação da liberdade, espaços que promovam outros modos de convivência, que crie ligames e oportunidades de expressarem os seus sonhos e suas peculiaridades, tanto na escola, quanto no bairro e na cidade. Assim, os seus desejos e anseios sinalizam a importância de se potencializar uma escola e uma cidade que tenha condição de contribuir para que elas se reconheçam neste espaço tempo histórico, social, geográfico, e, possam, dessa maneira, encontrar um lugar para si e se comprometer com o bem comum. Bairro, cidade, escola e infância, eis uma tessitura que precisa se constituir na dinâmica da cidade, de forma a dar visibilidade às crianças e suas culturas.por
dcterms.creatorTEIXEIRA, A. M. A. P.
dcterms.issued2012-09-26
dcterms.subjectCulturas infantispor
dcterms.subjectCidadepor
dcterms.subjectInfânciapor
dcterms.subjectEspaços urbanospor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Educaçãopor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Educaçãopor
dc.contributor.refereeLOPES, J. J. M.
dc.contributor.refereeBarros, M. E. B. de
dc.contributor.refereeGerda Margit Schutz Foerste
Appears in Collections:PPGE - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_6243_ANA MOSCON.pdf3.44 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.