Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2571
Title: A intersetorialidade no processo de construção da Política de Saúde Brasileira
metadata.dc.creator: ABREU, C. C.
Issue Date: 22-Jun-2009
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: ABREU, C. C., A intersetorialidade no processo de construção da Política de Saúde Brasileira
Abstract: Os objetivos do estudo são analisar como a intersetorialidade foi inserida no processo de construção da política de saúde brasileira, tendo por base o debate construído pelo movimento pela reforma sanitária e Plenária Nacional de Saúde nas décadas de 1970 e 1980, e identificar a intersetorialidade no debate das conferências internacionais de saúde da Organização Mundial de Saúde. A pesquisa se caracteriza por ser qualitativa, orientada pelo método materialista-histórico-dialético. Utilizou-se a pesquisa documental e pesquisa de campo. A primeira envolveu a coleta e a análise de documentos que foram formulados na periodicidade estudada e a pesquisa de campo foi efetuada a partir de 4 entrevistas com participantes da plenária nacional de saúde. Para a análise dos dados foi utilizada a análise de conteúdo. O estudo aponta que no processo de construção da política de saúde brasileira havia dois projetos societais em disputa que congregavam significados diferenciados de intersetorialidade. O projeto neoliberal defende um significado de intersetorialidade baseado na articulação entre os setores em uma perspectiva técnica e racionalizadora que esconde um significado político e ideológico a favor da redução dos recursos financeiros para a política de saúde. Este é o significado de intersetorialidade presente nas conferências internacionais da OMS e manteve forte influência na 7ª Conferência Nacional de Saúde no Brasil. O projeto defendido pela reforma sanitária mantinha um significado de intersetorialidade a favor da articulação entre políticas sociais e da expansão de direitos sociais com a conseqüente consolidação do conceito de saúde defendido pelo movimento sanitário. O estudo conclui que a intersetorialidade pode ser paradoxalmente restritivo e reafirmador de projetos coletivos estruturados em torno da superação das condições de desigualdade e injustiça social. Palavras-chave: política social, conferências internacionais de saúde, política de saúde, intersetorialidade.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2571
Appears in Collections:PPGPS - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_3443_Cassiane Cominoti (2).pdf1.11 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.