Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2822
Title: A Vida na Fazenda: Sentidos Subjetivos do Servidor Fazendário Frente à Participação no Trabalho.
metadata.dc.creator: Silveira, Rogério Zanon da
Keywords: Administração Pública;trabalhador;organização
Issue Date: 31-Mar-2010
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Abstract: Este estudo aborda o tema da participação no trabalho no âmbito da Administração Pública. O conceito de participação adotado está associado às formas e aos meios pelos quais os trabalhadores e dirigentes de uma organização podem influenciar seus destinos (MOTTA, 1999), agregando-se a busca deliberada e consciente do trabalhador em participar do desenvolvimento da organização da qual faz parte, desde os níveis operacionais aos estratégicos. Os sujeitos pesquisados são sete auditores fiscais da receita estadual da Secretaria de Estado da Fazenda do Espírito Santo (SEFAZ), escolhidos num universo de aproximadamente 400 auditores. A delimitação do estudo é a Subsecretaria de Estado da Receita (SUBSER). O levantamento dos dados deu-se em quatro momentos empíricos e os instrumentos de pesquisa utilizados foram a conversação grupal, a redação e a entrevista aberta. O problema de pesquisa teve origem nas inquietações do pesquisador sobre a diversidade e a complexidade dos problemas relacionados à participação no trabalho, nem sempre possíveis de serem explicados a partir de elementos objetivos. Essa compreensão do problema norteou a opção pelo estudo de natureza qualitativa baseada na Epistemologia Qualitativa (REY, 2005) e as análises foram fundamentadas a partir da acepção de sentido subjetivo (REY, 2003, 2005). O autor defende que entre o pensamento e a linguagem está a emoção, e que por isso nem sempre os sentidos subjetivos podem ser captados nas expressões diretas do sujeito. O objetivo da pesquisa foi analisar os sentidos subjetivos do servidor fazendário frente à participação no trabalho. O referencial teórico é a teoria da subjetividade na perspectiva histórico-cultural de Gonzalez Rey (2003, 2005), que propõe uma concepção de subjetividade a partir de uma compreensão histórico-cultural do homem. Sua teoria rompe com a dicotomia entre o social e o individual, e passa a entender a subjetividade como produção permanente de sentidos subjetivos na pressão recíproca entre a subjetividade social e a individual. Os sentidos subjetivos mais relevantes identificados em cada um dos sujeitos pesquisados frente à participação no trabalho estão associados: em Egberto, à visão ideológica de mundo e à necessidade de participação estratégica na instituição; em Ana Lúcia, ao núcleo familiar, à necessidade de participar de discussões estratégicas que afetem seu setor, e à necessidade de ser respeitada; em Inácio, à autoestima e à necessidade de encarar o controle cultural institucional; em Vera, à jovialidade, ao novo e à mudança, e também à realização de trabalho em área mais próxima as suas aptidões e habilidades; em Plínio, à busca por desenvolvimento pessoal integral, à reverência às regras formais e, paradoxalmente, à aversão ao controle; em Carmem, à família, especialmente ao filho, e à necessidade de ser reconhecida pelo esforço empregado; em Gabriel, à simplicidade e à visão social, representada pela preocupação com a condição social do outro, sentido associado à necessidade de ver valor agregado em seu trabalho. Os dados possibilitaram ainda a identificação de elementos marcantes da subjetividade social prevalente na instituição, com destaque para: cultura baseada no controle; mistura entre relações de amizade e relações profissionais; e carência de espaços de participação. Ao final, foram sugeridas medidas no sentido de aprimorar a relação servidor-instituição e a participação do servidor no trabalho, e abordadas lacunas e limitações do estudo. Foram apontadas também questões que podem ser objetivo de estudo no futuro, relacionadas à pesquisa.
This study deals with the theme of participation at work when it comes to Public Administration. The participation concept adopted is associated to the forms and the means by which workers and leaders of an organization can influence their destinies (MOTTA, 1999). The researched people are seven state tax auditors from the "Secretaria de Estado da Fazenda do Espírito Santo" (SEFAZ), Brazil, chosen in an universe of approximately 400 auditors. The delimitation of the study was the "Secretaria de Estado da Receita" (SUBSER), responsible for the taxation functions, collection and monitoring of the state tributes. The data collection happened in four empirical moments, between July 2009 and February 2010, and the research instruments used were group conversation, writing of a text and open interview. The research problem had its origin in the researcher's uneasiness about the diversity and the complexity of problems related to participation at work, not always possible to be explained starting from objective elements. That understanding of the problem oriented the option for the study of qualitative nature based in Qualitative Epistemology (REY, 2005). Rey (2005) understands the research as a dialogue process and communication. The analyses were based starting from the meaning of subjective sense (REY, 2003, 2005). The author defends that between the thought and the language it is emotion, and that is the reason why not always the subjective senses can be captured in the subject's direct expressions. The objective of the research was to analyze the subjective senses of the tax auditors in the light of participation at work. The theory that supports the research is the theory of the subjectivity in González Rey's historicalcultural perspective (2003, 2005). His theory breaks away with the dichotomy between the social and the individual, and begins to understand the subjectivity as a permanent production of subjective senses in the reciprocal pressure between the social subjectivity and the individual subjectivity. Four empirical moments were accomplished in the research. The results showed that the subjective senses of the tax auditor in the light of participation at work are produced in each one in a differentiated way and starting from their experiences in different spaces of performance, influenced by the life history of each one. Their social spaces, as the house, the workplace and the education, for instance, are interacted in a complex way in the production of subjective senses of each subject. The data still made possible to identify remarkable elements of the social subjectivity preponderant in the institution, with prominence for: control-based culture ; mixture between relationships of friendship and professional relationships; and lack of participation spaces. At the end, measures were suggested in order to improve the servant-institution relationship and the participation of the servant at work, whose main are: adoption of human resource policies; motivate the participation of the servants in important discussions; collective construction of participation spaces; invigoration of relationships based on the trust; and attention to the woman's situation and to her participation space in the institution. Key-words: participation at work, subjectivity, subjective senses, tax auditor , Public Administration.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2822
Appears in Collections:PPGADM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_3665_.pdf925.38 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.