Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2832
Title: A disseminação das políticas públicas locais de economia solidária no Brasil : o caso de Manaus
metadata.dc.creator: Vasconcellos, Rodolpho Emerson Silva de
Keywords: Políticas públicas;Economia solidária;Administração - participação dos empregados
Issue Date: 25-Mar-2011
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Abstract: O modelo econômico (liberal) capitalista, ora vigente e hegemônico, é marcado por incoerências estruturais que são causa ou conseqüência de fenômenos sociais como pobreza, marginalização, desigualdade, exclusão, precarização do trabalho, conformismo e alienação. Tais mazelas se dão devido às características intrínsecas do modelo capitalista de produção e acumulação. Em meio às adversidades já citadas, os excluídos desse sistema vêm apresentando um modelo de produção e gestão diferente, em suas bases, do modelo capitalista. Trata-se de um movimento de geração de renda e emprego alternativo às idéias liberais, que é chamado no Brasil de economia solidária. Suas características mais elementares são a autogestão dos empreendimentos produtivos, a propriedade coletiva ou associada do capital e o repúdio à relação assalariada de produção. Por sua vez, o Estado – responsável por idealizar e instaurar políticas públicas que combatam os efeitos colaterais do modelo em crise – vem abraçando a idéia dos empreendimentos de economia solidária, principalmente visando à minimização da pobreza e do desemprego. Esta pesquisa busca entender como se opera a disseminação de políticas públicas de economia solidária no Brasil em contexto subnacional. A escolha do caso de Manaus se deu pela assunção de que o fator proximidade a outros municípios que implantaram políticas de economia solidária não explicaria a sua implantação na capital manauara. Os fatores que, de fato, explicam a difusão serão elucidados nesta pesquisa.
The capitalist (liberal) economic model – nowadays in force and dominant – is filled by structural incoherences which are cause or consequence of social phenomena as poverty, marginalization, inequality, debarment, precarization of work conditions, conformism and alienation. These symptoms emerge due to intrinsic characteristics of capitalist production and accumulation model. Surrounded by said adversities, the ones excluded from hegemonic economic system present an alternative model of production and management. It refers to a job and income creation movement alternative to liberal ideas, which is called in Brazil as solidarity economy. It´s inner main characteristics are ventures' self-management, collective or associated ownership of means of production and denial of salaried production relations. In it´s turn, the State – responsible to idealize and implement public policies aiming to combat the side effects of the in-crisis model – has recently approached solidarity economy ideals, mainly in order to reduce poverty and unemployment. This research seeks to understand how diffusion of solidarity economy public policies works in Brazilian sub-national context. Aims to answer the question: what are the determinants for diffusion? Manaus' case will be studied because of it´s geographical distance of other cities which have implemented said kind of policy. The factors indeed responsible for diffusion will be shown in this research.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2832
Appears in Collections:PPGADM - Dissertações de mestrado



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.