Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3095
Title: Gerenciamento Proteano de Carreira entre Universitários
metadata.dc.creator: BORGES, L. F. L.
Keywords: carreira proteana;desenvolvimento profissional;estudantes
Issue Date: 24-Jun-2014
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: BORGES, L. F. L., Gerenciamento Proteano de Carreira entre Universitários
Abstract: A partir da segunda metade do século XX, mudanças no modo de produção capitalista começaram a afetar a relação que as empresas estabeleciam com o trabalhador. Diante de um mercado imprevisível, a carreira tradicional, marcada, entre outros aspectos, por empregos duradouros e com possibilidade de ascensão na hierarquia da organização, tornou-se menos recorrente. Paralelamente, começaram a despontar novas concepções sobre carreira, tendo a maioria um enfoque individualista. Dentre as novas proposições, o presente estudo tomou como referência a concepção de carreira proteana. Esse modelo, de origem norte-americana, tem como idéia central a noção de uma carreira que é gerida pelo individuo, e tem como meta a alcance do sucesso psicológico. Desta forma, ancora-se em duas principais dimensões: autogerenciamento e direcionamento para valores. Considerando os diversos estudos que descrevem as dificuldades enfrentadas por estudantes na transição da universidade para o mercado de trabalho, esta pesquisa objetivou compreender aspectos de gerenciamento proteano de carreira entre universitários brasileiros que já tinham concluído, pelo menos, a primeira metade do curso de graduação. Para tanto, o estudo foi dividido em dois artigos. O primeiro foi destinado ao desenvolvimento e validação da Escala de Atitudes de Carreira Proteana para universitários, tendo sido realizado com uma amostra de 1016 estudantes de 37 cursos diferentes, com idade variando entre 18 e 65 anos, e média de 24,52 (DP=¨,69 anos). O instrumento, denominado neste estudo de Escala de Gerenciamento Proteano de Carreira para Universitários (EGPC-U) atestou a estrutura de duas dimensões, evidenciada tabém na versão original da medida. Os índices de confiabilidade foram satisfatórios e superiores a 0,61. O segundo artigo objetivou compreender como as dimensões do modelo proteano se relacionam com variáveis sóciodemográficas e com construtos psicossociais: personalidade, lócus de controle, saúde e satisfação com a vida, e envolveu alunos de duas áreas de conhecimento: humanas e exatas. A amostra foi composta por 609 alunos, sendo 313 da área de humanas e 296 de exatas, sendo 50,9% do sexo masculino. A idade dos participantes variou entre 18 e 65 anos e média de 25,2 anos (DP=7,63 anos). A partir dos resultados do estudo 2, contatou-se que alunos da área de humanas, quando comparados a estudantes de exatas, tendem a apresentar média superior na dimensão de direcionamento para valores. Verificou-se ainda uma correlação positiva e significativa do construto autogerenciamento com características de personalidade relacionadas à conscienciosidade, bem como a capacidade preditiva do lócus de controle interno em relação as duas dimensões proteanas. O estudo, de um modo geral, permitiu verificar a existência de características proteanas entre universitários, como também possibilitou conhecer variáveis relacionadas às atitudes de autogerenciamento e direcionamento para valores. Destaca-se a necessidade de pesquisas complementares com a exploração de outras variáveis psicossociais que possam estar relacionadas ao gerenciamento proteano esntre graduandos.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3095
Appears in Collections:PPGP - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_6414_DISSERTAÇÃO - LUDMILA F L BORGES .pdf1.02 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.