Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3780
Title: Estudo da referência indeterminada do pronome "você" na perspectiva funcionalista da linguagem
metadata.dc.creator: Souza, Mônica dos Santos
Keywords: Língua portuguesa - Pronomes;Funcionalismo (Linguística);Língua portuguesa - Sujeito e predicado;Linguística
Issue Date: 23-Sep-2014
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Abstract: A proposta desta pesquisa centra-se no estudo do sujeito de referência indeterminada na perspectiva funcionalista da linguagem. Concordamos, assim, com os preceitos do Funcionalismo Linguístico, ancorados na visão de Givón (2001). Entre outras questões, Givón (2001) fala da origem do funcionalismo linguístico e da importância de não fazermos análises isoladas, isto é, o linguista chama a nossa atenção para a relação existente entre as estruturas gramaticais e os diferentes contextos comunicativos em que essas estruturas são usadas. Aliada a essa abordagem, elegemos também para o estudo e análise da questão a ótica da Linguística Textual referente às noções de texto veiculadas nesse campo investigativo, mais precisamente, por não considerá-lo uma estrutura pronta e acabada, mas sim, parte de atividades mais globais da comunicação, visto como atividade verbal consciente e interacional (BENTES, 2004). Neste sentido, adotamos também o olhar de Cavalcante e Custódio Filho (2010) e de Dionísio (2008) ao destacarem a necessidade de uma investigação que leve em conta o caráter multimodal dos textos que circulam atualmente em nossa sociedade e de irmos além da materialidade linguística, considerando outras semioses não linguísticas pertencentes às estratégias textual-discursivas da atividade de produção. Partimos, pois, do princípio de que o falante dispõe de diversas formas quando deseja indeterminar o sujeito em suas interações diárias. Atentamos, assim, em observar e analisar o comportamento da forma pronominal você, como também, todo o contexto envolvido na situação comunicativa. Sabemos que esse pronome geralmente é utilizado em contextos para interpretação anafórica e dêitica, mas que em determinadas situações de uso demonstra ter referência indeterminada. Percebemos, porém, que tradicionalmente a maioria dos gramáticos afirma que há duas formas de se indeterminar o sujeito na Língua Portuguesa; uma se dá quando se apresenta o verbo na terceira pessoa do plural sem antecedentes (cf. Quebraram a vidraça da escola); e, a outra se dá quando se tem o verbo transitivo indireto na terceira pessoa do singular mais a partícula se (cf. Precisa-se de secretária). Para a constituição de nosso corpus, foram eleitos diversos textos que circulam em nossa sociedade contemporânea e que trazem a forma pronominal você na função sujeito de referência indeterminada.
This research focuses the undetermined-reference subject under the functionalist perspective of language. We thus agree with Linguistic Functionalism, based on view's Givón (2001). Among other issues, Givón (2001) addresses the origin of linguistic functionalism and the importance of not performing isolated analyses, that is to say, the linguist draws our attention to the relationship between the grammatical structures and the different communicative contexts where those structures are used. Along with that approach, we selected for assessment the analysis of the matter through Textual Linguistics on text notions propagated in that investigation field, specifically where the text is not considered a finished structure, but a part of more comprehensive communication activities, a conscious and interactional verbal activity (BENTES, 2004). Accordingly, we also adopted the view of Cavalcante and Custódio Filho (2010) and Dionísio (2008) stressing the necessity of an inquiry comprehending the multimodal character of the texts presently circulating in our society, as well as the necessity of surpassing linguistic materiality, considering other non-linguistic semiotic interpretations belonging to textual-discursive strategies from the production activity. We thus depart from the principle that the speaker disposes of several forms whenever they intend to un-determine the subject in their daily interactions. Therefore, we analyze the pronominal form você (you), along with the communicative context. We know that this pronoun is generally used in anaphoric and deitic interpretation contexts, but it has sometimes undetermined reference. Traditionally, however, Portuguese grammar allows two indetermination forms: verb in the third person of the plural without antecedents (Quebraram a vidraça da escola); indirect-transitive verb in the third person of the singular plus particle se (Precisa-se de secretária). For the constitution of our corpus, several current texts with the pronominal form você in the function of undetermined-reference subject were selected.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3780
Appears in Collections:PPGEL - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_8200_DISSERTAÇÃO_INDETERMINAÇÃO DO SUJEITO.pdf1.82 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.