Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3845
Title: O que o futuro nos reserva? Efeito das mudanças climáticas sobre a dinâmica populacional de pragas agrícolas no Estado do Espírito Santo
metadata.dc.creator: GOMES, F. F.
Issue Date: 25-Mar-2013
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: GOMES, F. F., O que o futuro nos reserva? Efeito das mudanças climáticas sobre a dinâmica populacional de pragas agrícolas no Estado do Espírito Santo
Abstract: As alterações atribuídas ao aquecimento global são um dos maiores problemas enfrentados pelas espécies atuais em nosso planeta, sendo a temperatura um fator que influencia nos insetos em suas taxas de crescimento, desenvolvimento e tamanho corporal, consequentemente influenciando direta ou indiretamente sua sobrevivência, reprodução e movimento. Conforme a temperatura aumenta, o tempo de desenvolvimento diminui progressivamente. Com base nesse conceito, uma abordagem comum para modelar os efeitos da temperatura sobre o desenvolvimento de insetos é converter o seu tempo de desenvolvimento através do uso de Graus-dia. Utilizando-se dados sobre as médias de temperaturas mensais como variáveis independentes, podemos examinar a variação de atributos fisiológicos de organismos vivos através de modelos matemáticos. Hospedeiros e parasitóides possuem uma relação refinada de acoplamento fisiológico, de maneira que com a mudança de temperatura, a eficiência no controle de pragas por parte do parasitóide pode ser comprometida. Estudos avaliando o impacto da temperatura na biologia de Trichogramma podem ajudar a aumentar o estabelecimento e eficácia desses inimigos naturais em ecossistemas agrícolas. Dessa forma, um aumento esperado da temperatura do Espírito Santo, onde o agronegócio corresponde a 80% da atividade econômica, pode causar desestabilizações entre as dinâmicas populacionais de insetos causadores de danos em lavouras e às espécies de vespas parasitóides que as regulam. As espécies Tuta absoluta, Sitotroga cerealella, Trichogramma pretiosum e Trichogramma acacioi foram escolhidas com o objetivo de simular como as mudanças climáticas afetam a dinâmica populacional desses insetos para o presente, 2020, 2050 e 2080. Através de dados biológicos dessas espécies, foram gerados perfis do tempo fisiológico, comprovando a calibragem fisiológica entre o sistema Hospedeiro-Parasitóide; e simulações de dinâmica populacional projetando o presente e futuro. Tratando-se do Espírito Santo, é previsto que ocorra um aumento da temperatura em 2080 variando de 0,1 a 0,8°C em relação ao presente. T. absoluta e seu parasitóide T. pretiosum possuem um padrão entre suas densidades populacionais durante o presente, porém, para o futuro, a sincronia entre as densidades populacionais se perdem. Para S. cerealella e T. acacioi, não é possível identificar um padrão entre as populações de hospedeiro e parasitóide visto que a população de S. cerealella não sofre influência da 6 temperatura. As evidencias do presente trabalho mostram que as variações de temperatura causaram efeito maior sobre as populações dos parasitóides do que as de hospedeiros.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3845
Appears in Collections:PPGBAN - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_6381_Dissertação_Fernanda de Freitas Gomes.pdf1.04 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.