Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3857
Title: Conectividade entre populações de peixes recifais ao longo da Cadeia Vitória-Trindade: o papel da dispersão larval
metadata.dc.creator: STOCCO, L. B.
Issue Date: 27-Feb-2015
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: STOCCO, L. B., Conectividade entre populações de peixes recifais ao longo da Cadeia Vitória-Trindade: o papel da dispersão larval
Abstract: Peixes recifais adultos são relativamente sedentários e a fase larval pode permitir a dispersão para locais distantes. Porém, ainda há incertezas sobre o quanto da produção ictioplanctônica é retida no local de origem e o quanto é dispersa e como as diferentes populações e espécies variam neste aspecto. O transporte larval, ditado por respostas biológicas e pelas condições físicas do ambiente, permite a conectividade entre populações. A Cadeia Vitória-Trindade (CVT) é constituída por seis montes submarinos pelas ilhas Trindade e Martin Vaz dispostos linear e perpendicularmente à costa do Espírito Santo e parece atuar como alpondras para peixes recifais. O trabalho objetivou analisar o fluxo de larvas ao longo da CVT. Foram feitas duas coletas na região e as larvas de peixes capturadas foram classificadas em recifal, epipelágica ou mesopelágica, de acordo com o habitat ocupado pelo adulto. Larvas de peixes mesopelágicos foram as mais abundantes e diversas em todos os locais, exceto sobre o monte submarino mais próximo à costa. Foi observado que a densidade e a riqueza de larvas de peixes recifais estão associadas a fatores como presença de locais rasos, distância de fontes externas de propágulos e dinâmica de correntes, tornando difícil o reconhecimento de algum padrão espacial. Foi realizada a simulação do transporte larval de peixes recifais no programa Ichthyop 3.2 utilizando um modelo hidrodinâmico ROMS referente à região entre a costa brasileira e o monte submarino mais distante da costa (i.e. não inclui as ilhas). A modelização do transporte foi realizada para dois tipos biológicos, com características de ampla (pelagic larval duration PLD- de 40 a 45 dias) e de baixa (PLD de 30 a 35 dias e presença de migração vertical) capacidade dispersiva. A simulação mostrou que há fluxo de larvas ao longo da CVT e regiões adjacentes com a necessidade de etapas intermediárias para o transporte entre os extremos da cadeia, caracterizando o modelo de alpondras modificado. Os fluxos larvais dos dois tipos biológicos se mostraram semelhantes. Dessa forma, a dispersão larval tem importante papel na conectividade de populações de peixes recifais ao longo dos montes submarinos da CVT e entre eles e a costa.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3857
Appears in Collections:PPGBAN - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_8584_Luana Birchler.pdf1.56 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.