Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3916
Title: Comportamento de antibióticos da classe das fluoroquinolonas na urina humana durante tratamento para reciclagem de nutrientes via estocagem e evaporação
metadata.dc.creator: ZANCHETA, P. G.
Keywords: 1;Urina;2;Nutrientes;3;Antibióticos;4;Evaporação
Issue Date: 3-Aug-2012
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: ZANCHETA, P. G., Comportamento de antibióticos da classe das fluoroquinolonas na urina humana durante tratamento para reciclagem de nutrientes via estocagem e evaporação
Abstract: Existem interessantes perspectivas a partir da utilização da urina humana como fertilizante em uso agrícola, principalmente em países em desenvolvimento devido às altas concentrações de nutrientes, como nitrogênio, fósforo e potássio. No entanto, a urina humana é a principal via de excreção de fármacos inalterados e seus metabólitos fazendo-se necessária a remoção de resíduos farmacêuticos para evitar em longo prazo riscos ao meio ambiente. O presente trabalho objetivou desenvolver e validar um método para quantificação simultânea de antibióticos da classe das fluoroquinolonas (FQs): ofloxacina (OFLO), norfloxacina (NOR) e ciprofloxacina (CIPRO) em urina humana, avaliar o comportamento desses antibióticos na urina durante tratamento para reciclagem de nutrientes via estocagem e evaporação e analisar o desempenho de evaporadores solares para redução de volume da urina humana. O método desenvolvido descreve uma metodologia analítica por cromatografia líquida de alta eficiência acoplada a um detector de fluorescência (CLAE-DF) sem recorrer à etapa de clean-up que geralmente exige o uso de grandes quantidades de solventes orgânicos e outros procedimentos, como extração em fase sólida. O método demonstrou ser seletivo, com linearidade de r > 0,99, sensível, com recuperação de 80% a 107% e adequado para análises de rotina (baixo custo, simples e utilização de pequeno volume de solventes) para abordagens ecológicas. Esse método foi aplicado na avaliação do comportamento das três FQs na urina humana durante o tratamento de estocagem e evaporação. A urina utilizada para os dois tratamentos foi coletada apenas de pessoas do sexo masculino, saudáveis e sem utilização de medicamentos. Esta foi dividida em dois tipos, urina normal (sem acidificação) e urina acidificada. Durante os dois tratamentos também foram avaliados o comportamento dos nutrientes da urina humana e análise microbiológica na urina normal durante a estocagem. Para as análises das FQs na estocagem foi utilizada apenas urina acidificada e para a evaporação foram utilizados os dois tipos. A estocagem da urina acidificada não foi capaz de reduzir as concentrações destes fármacos em quantidades significativas, considerando-se o limite de detecção do método cromatográfico empregado (1,0 µg l-1). Consequentemente, o monitoramento da presença estes fármacos na urina humana a ser utilizada na agricultura deve ser implementado. Nos testes microbiológicos realizados com a urina normal constatou-se que após um período de 15 dias e em temperatura ambiente, as densidades de coliformes totais e E. coli mostraram-se nulas. Os ensaios de evaporação evidenciaram uma maior resistência à degradação da OFLO e uma alta degradabilidade da NOR e da CIPRO sob as diferentes condições de pH e temperatura. A acidificação da urina com a quantidade de ácido utilizada aumentou a resistência à degradação das NOR e CIPRO sob as três temperaturas testadas, cujas velocidades e as eficiências de degradação mostraram-se bastante reduzidas com relação aos testes com urina normal. Conclui-se que a acidificação na quantidade de ácido sulfúrico utilizada não foi um método eficaz de conservação de nitrogênio e para a degradação do antibiótico OFLO na urina sob as condições de evaporação testadas. Para avaliação da evaporação nos dois processos utilizando energia solar foi utilizada apenas urina acidificada. Os resultados mostraram que é possível reduzir o volume utilizando-se ambas as técnicas. Quando se relaciona as taxas de evaporação e a eficiência energética, o concentrador solar parabólico teve melhor desempenho em relação ao evaporador de bandeja, apresentando um tempo de residência menor, temperaturas mais elevadas e maiores taxas de degradação de FQs.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3916
Appears in Collections:PPGEA - Teses de doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_5995_.pdf4.19 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.