Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4376
Title: VARIAÇÕES da Comunicadade Fitoplanctonica na Regiao Estuarina dos Rios Piraque-açu e Piraquq-mirim (aracruz-es) e Suas Relações Com Os Fatores Ambientais
metadata.dc.creator: JANE K.SHAEFFER
Issue Date: 25-Feb-2005
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: JANE K.SHAEFFER, VARIAÇÕES da Comunicadade Fitoplanctonica na Regiao Estuarina dos Rios Piraque-açu e Piraquq-mirim (aracruz-es) e Suas Relações Com Os Fatores Ambientais
Abstract: RESUMO O presente trabalho foi realizado no estuário dos rios Piraquê-Açú e Piraquê-Mirim, localizado no município de Aracruz - ES (Brasil). Este estudo teve como objetivo estudar espacial e temporalmente a comunidade fitoplanctônica do estuário nos seus aspectos qualitativos e quantitativos, avaliando também a biomassa do fitoplâncton presente através da técnica do biovolume. Além disso, as variáveis abióticas (nutrientes, pH, salinidade, temperatura, transparência e oxigênio dissolvido na água) foram relacionadas com variáveis bióticas do fitoplâncton analisadas nos mesmos pontos, dispostos ao longo do estuário. Os resultados obtidos basearam-se em amostragens realizadas bimestralmente no período de agosto de 2003 a fevereiro de 2004 em quatro pontos de amostragem no estuário. As concentrações de feofitina foram superiores as concentrações de clorofila a, o que demonstrou um grau de senescência elevado da comunidade. Quanto ao aspecto qualitativo do fitoplâncton foram encontrados 156 táxons identificados à nível de espécie, gênero e variedade, sendo que a maioria destes podem ser considerados marinhos, eurialinos e planctônicos. As Classes dominantes foram Bacillariophyceae (57%), Chlorophyceae (11,5%) e Dinophyceae (8,4%). Apesar da grande riqueza de espécies que caracterizou o fitoplâncton do Rio Piraquê-Açú e Piraquê-Mirim, apenas algumas espécies foram de real importância quantitativa, dentre elas a Cyanophyceae Synechocystis aquatilis, a Chlorophyceae Chlorella minutissima e a Bacillariophyceae Melosira varians. Os maiores valores de densidade numérica total ocorreram no período chuvoso (fevereiro). Tais variações estão relacionadas ao maior aporte de material alóctone e nutrientes provenientes do escoamento superficial durante o período chuvoso. Quanto ao biovolume celular sete Classes contribuíram representativamente: Chlorophyceae, Bacillariophyceae, Cyanophyceae, Dinophyceae, Cryptophyceae, Euglenophyceae e os fitoflagelados. A maior contribuição para o biovolume total foi dada pelas Bacillariophyceae e 7 Dinophyceae. A pluviosidade foi o principal transformador externo capaz de induzir mudanças sobre o fitoplâncton. ABSTRACT This study was carried out in the estuary of the Piraquê- Açú and Piraquê-Mirim rivers, located in the municipal district of Aracruz-ES (Brazil). The aim of this study is to verify both spatial and temporal changes on phytoplanktonic community of the estuary in its qualitative and quantitative aspects, and also to evaluate the biomass through the technique of biovolume. Moreover, the obtained biotics variables were related with abiotic variables analized at the same spots along the estuary. The obtained results were based on samplings carried out bimonthly in the period of August 2003 to February 2004, emphasizing two pluviometric seasons: dry (August) and rainy (February). Pheopigments concentrations were higher than chlorophyll a concentration, showing a senescent degree of the community. The qualitative aspect of the phytoplankton community showed 156 taxons classified in species, genus and varieties, wich most of them considered as marine, eurialine and planktonic. The dominant classes were Bacillariophyceae (57%), Chlorophyceae (11,5%) and Dinophyceae (8,4%). Although, the community showed a higher diversity, just some were quantitatively significant, among them Cyanophyceae Synechocystis aquatilis, Chlorophyceae Chlorella minutissima and Bacillariophyceae Melosira varians. The highest densities of total phytoplankton occured in the rainy season. Such variations were related to a significant contribution of allochthonous nutrients and materials originated from superficial outflow during the rainy season. Regarding the biovolume, seven classes of algae showed significative contribution: Chlorophyceae, Bacillariophyceae, Cyanophyceae, Dinophyceae, Cryptophyceae, Euglenophyceae and the phytoflagellates. The most significant contribution for total biovolume was given by Bacillariophyceae and Dinophyceae. Pluviosity was the major external driving force leading to changes in phytoplankton community.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4376
Appears in Collections:PPGBV - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_2665_Dissertação_Jane.pdf726.03 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.