Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4698
Title: Desenvolvimento de Metodologia de Extração de Cloretos em Petróleos por Aplicação Indireta de Ultrassom.
metadata.dc.creator: SAD, C. M. S.
Issue Date: 4-Dec-2013
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: SAD, C. M. S., Desenvolvimento de Metodologia de Extração de Cloretos em Petróleos por Aplicação Indireta de Ultrassom.
Abstract: Neste trabalho é proposto um método de laboratório para extração de sais em petróleos com °API de 13 a 36, teor de água de 0, 050 a 6,00 % (v/v) e teor de sais de 2 a 2500 mg kg-1 em NaCl, utilizando a tecnologia de ultrassom (US) com uso de solventes orgânicos. Adicionalmente, após a otimização da metodologia de extração com solvente, foi avaliada a eficiência de extração sem adição de solventes. Fatores relevantes à homogeneização, extração por teste de recuperação com amostra fortificada com água de formação e determinação da concentração de sais nas amostras de petróleos foram investigados com o objetivo de desenvolver um procedimento robusto. Os resultados obtidos nos testes de recuperação por US para óleos intermediários e pesados apresentaram eficiência acima de 97% de extração de sais, sendo maior, comparado ao método ASTM D6470-04 modificado que ficou com eficiência de extração em torno de 90%. A primeira etapa deste trabalho consistiu em determinar as condições de máxima extração de sais na amostra de petróleo pesado com ºAPI 16. Para isto, foi elaborado um planejamento fatorial evidenciando os fatores que influenciam na extração de sais das amostras, como tempo de extração e temperatura de aquecimento. Depois de estabelecidas as condições do planejamento, duas metodologias foram avaliadas: extração de sais com uso de solventes (US/CS, água xileno, acetona e álcool isopropílico) e sem uso de solventes (US/SV, água deionizada e desemulsificante). O tempo de máximo de extração sem provocar formação de emulsão estável, com e sem uso de solventes foi de 1 min de exposição ao ultrassom na temperatura de 80 (± 5) ºC em uma única etapa de extração. Entretanto, verificou-se que algumas amostras com diferentes °API e elevados teores de sais, submetidas ao sistema de extração US (com e sem solventes) foi necessário fazer três etapas de extração (com intervalos de 1 min cada). Para validação da metodologia, foram selecionadas 23 amostras (programa interlaboratorial CENPES) de petróleos dessalgados no refino, com °API em torno de 29 e com teor de água menor que 0,5% (v/v), onde foram avaliados diferentes métodos de extração de sais: ASTM D6470-04 otimizado (UFES), US (UFES), ASTM D6470-04 (CENPES) e Microondas (UFSM). As técnicas de quantificação utilizadas foram a titulação potenciométrica e cromatografia de íons. A técnica potenciométrica mostrou-se mais eficiente quando aplicadas a amostras com limite de detecção maior que 6 mg kg-1 NaCl (em relação a amostra). Amostras com teores abaixo desse valor, a técnica por cromatografia de íons mostrou-se mais sensível, desde que seja realizado um tratamento no extrato aquoso para eliminar a interferência dos solventes que danificam a coluna e acessórios do cromatógrafo de íons. Os resultados do interlaboratorial avaliado pelo CENPES demonstraram que, o método de US (com e sem uso de solvente) apresentou maior eficiência de extração de sais comparando-se aos métodos ASTM D6470-04 (CENPES) e ASTM D6470-04. Segundo avaliação do CENPES, as técnicas de extração de sais assistida por ultrassom são indicadas para petróleos cargas para refino.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4698
Appears in Collections:PPGQUI - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_7226_Cristina Maria dos Santos Sad.pdf1.5 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.