Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4839
Title: Métodos geoestatísticos no estudo de atributos químicos e físicos do solo em dois sistemas de cultivo da soja no cerrado
metadata.dc.creator: SILVA, J. M.
Keywords: Geoestatística;análise espacial;conservação de solo
Issue Date: 1-Nov-2006
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: SILVA, J. M., Métodos geoestatísticos no estudo de atributos químicos e físicos do solo em dois sistemas de cultivo da soja no cerrado
Abstract: A cultura da soja ocupa grandes extensões de área plantada na região do cerrado brasileiro e, é considerada um commodities de grande importância comercial para a economia do Brasil como fonte geradora de riqueza. A análise geoestatística permite detectar a existência da variabilidade e distribuição espacial, constituindo importante ferramenta na análise e descrição detalhada dos atributos do solo. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a variabilidade espacial de atributos químicos e físicos do solo no cultivo de soja sob plantio direto (PD) e preparo convencional do solo (PC), em área de cerrado, usando a técnica da estatística clássica e da geoestatística na análise dos dados. Os dados foram coletados em duas áreas na Fazenda Monte Alegre, no município de Rio Verde Goiás, em pontos de amostragem georeferenciadas com auxílio de um sistema de posicionamento global (GPS), definidos segundo uma malha regular com 44 pontos, com dimensão de 40 x 55 m. Foram estudados no PD e PC nas profundidades 0 a 10 cm, 10 a 20 cm e 20 a 40 cm os seguintes atributos físicos: densidade do solo (Ds), microporosidade (MiP), macroporosidade (MaP), porosidade total do solo (Pt), e nas profundidades 0 a 20 cm e 20 a 40 cm os atributos resistência mecânica do solo à penetração (RP) e umidade do solo (U); e os seguintes atributos químicos nas profundidades 0 a 5 cm e 5 a 15 cm: potencial hidrogeniônico (pH em CaCl2), matéria orgânica (MO), fósforo (P), potássio (K), cálcio (Ca), magnésio (Mg), alumínio (Al), acidez potencial (H+Al), soma de bases (SB), capacidade de troca de cátions (CTC) e saturação por bases trocáveis (V). Foi realizada análise descritiva dos atributos, seguida da análise geoestatística com base nas pressuposições de estacionaridade da hipótese intrínseca pela análise a partir de semivariogramas. Após ajustes dos modelos teóricos, realizou-se a interpolação por krigagem para estimar valores não amostrados no campo, construindo os mapas temáticos de contornos para os atributos que apresentaram distribuição espacial. Oitenta e dois e setenta e três porcento dos atributos químicos apresentam distribuição normal para PD e PC, respectivamente. Os atributos físicos avaliados nas três primeiras profundidades apresentam cem porcento de distribuição normal, enquanto que nas outras duas não apresentam o mesmo comportamento. Na profundidade 0 a 5 cm, os atributos químicos MO e H+Al não apresentam diferença significativa entre os manejos, o mesmo ocorrendo com o Mg e a CTC na profundidade de 5 a 15 cm. Para o mesmo manejo comparado nas duas profundidades, o P, o Mg e o Al no PC e o Ca no PD não apresentam diferença significativa. A maioria dos atributos químicos avaliados no PC e PD apresenta dependência espacial entre moderada e forte, exceto o K que apresenta baixa dependência espacial no PC na profundidade de 0 a 5 cm. Todos os atributos físicos apresentam diferença significativa, com exceção para Ds e Pt na profundidade de 20 a 40 cm. A maioria dos atributos físicos avaliados no PC do solo apresenta dependência espacial entre moderada e forte, exceto a MaP na profundidade de 0 a 10 cm, Ds e MiP de 10 a 20 cm, MiP e MaP de 20 a 40 cm, e RP nas duas profundidades avaliadas. No PD, os atributos MiP nas três profundidades, a Pt de 10 a 20 cm, Ds e MaP e U na profundidade de 20 a 40 cm apresentam ausência de dependência espacial. O uso do semivariograma escalonado permite verificar o mesmo padrão de dependência espacial para os atributos químicos pH, MO, Al, H+Al e CTC, e físicos Ds e Pt no PC e no PD para RP. O manejo na área sob PC é decisivo no aumento da produtividade da soja em relação à área sob PD. O uso do sistema de informação geográfica associado a métodos geoestatísticos contribui com a tomada de decisão na implementação do manejo do solo, aumentando o potencial de utilização prática desses métodos.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4839
Appears in Collections:PPGPV - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_3380_Jose Marcilio da Silva.pdf1.29 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.