Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4960
Title: MODELOS DIGITAIS DE ELEVAÇÃO NA SUB-BACIA HIDROGRÁFICA DO CORREGO HORIZONTE, ALEGRE - ESPÍRITO SANTO
metadata.dc.creator: SAITO, N. S.
Keywords: 1;Sensoriamento remoto;2;Relevo;3;Interpolação;4;Mo
Issue Date: 23-Feb-2011
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: SAITO, N. S., MODELOS DIGITAIS DE ELEVAÇÃO NA SUB-BACIA HIDROGRÁFICA DO CORREGO HORIZONTE, ALEGRE - ESPÍRITO SANTO
Abstract: SAITO, Nathalia Suemi. Modelos digitais de elevação na sub-bacia hidrográfica do córrego Horizonte, Alegre Espírito Santo. 2011. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) Universidade Federal do Espírito Santo, Alegre-ES. Orientador: Prof. Dr. Alexandre Rosa dos Santos. Coorientador: Profª. Drª. Maristela de Oliveira Bauer. Esta pesquisa objetivou utilizar a geotecnologia para a obtenção de informações da superfície terrestre, por meio de diferentes interpoladores e base de dados para a geração do Modelo Digital de Elevação, na sub-bacia hidrográfica do córrego Horizonte, Alegre - ES. Foram utilizadas as curvas de nível do IBGE e a imagem do SRTM como dados altimétricos. Testaram-se os interpoladores Inverso do quadrado da distância, Krigagem 1 e 2, Spline 1, 2 e B, TIN 1 e 2, Topo to Raster 1 e Topo to Raster 2. Coletaram-se em campo pontos de referência. Além disso, pontos subtraídos das curvas de nível foram utilizados como pontos de teste. Após a geração dos modelos aplicaram-se as técnicas de stream burnning e avaliaram-se os modelos por meio de análise de discrepâncias entre as altitudes dos modelos e dos pontos de referências, avaliaram-se, também, as coincidências das hidrografias e a performance dos modelos por meio de índices estatísticos. Após a aplicação das tecnincas de pós-processamento verificou-se que os métodos TIN 1 e 2 e Topo to Raster 1 e 2 apresentaram os menores números de depressões espúrias, sendo que todos os modelos foram semelhantes na coincidência com a hidrografia mapeada. Sem a técnica houve um grande número de inconsistências. O interpolador Topo to Raster 2 foi superior em todos os índices calculados e em todas as análises realizadas. Observou-se que é essencial a aplicação das técnicas de stream burnning para melhoria da coincidência espacial das hidrografias (numérica e mapeada), já que os modelos gerados sem as técnicas de pós-processamento são inadequados para análises hidrológicas, porém as análises com os MDE gerados com os dados SRTM indicaram melhores resultados para extração de valores altimétricos. Constatou-se pelas diversas análises que o MDEHC (IBGE) pelo Topo to Raster 2 é o indicado para a geração de MDE na sub-bacia hidrográfica do córrego Horizonte, Alegre ES. PalavrasChave: Sensoriamento Remoto, Interpolação, Modelagem, Sistemas de Informação Geográfica, Horizonte, Córrego, Sub-bacia (Alegre, ES).
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4960
Appears in Collections:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_4622_.pdf6.51 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.