Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5018
Title: AVALIAÇÃO DE MODELOS DIGITAIS DE ELEVAÇÃO PARA ANÁLISE ESPACIAL DE BACIAS HIDROGRÁFICA
metadata.dc.creator: SCARDUA, M. D.
Keywords: Palavras-chave: Hidrografia;Sistemas de Informação Geográfi
Issue Date: 29-Aug-2013
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: SCARDUA, M. D., AVALIAÇÃO DE MODELOS DIGITAIS DE ELEVAÇÃO PARA ANÁLISE ESPACIAL DE BACIAS HIDROGRÁFICA
Abstract: SCÁRDUA, Marcelo Dan. Avaliação de modelos digitais de elevação para análise espacial de bacias hidrográficas. 2013. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) Universidade Federal do Espírito Santo, Jerônimo Monteiro-ES. Orientador: Prof. Dr. Sidney Sara Zanetti. Co-Orientador: Prof. Dr. Roberto Avelino Cecílio. Co-Orientador: Prof. Dr. Alexandre Rosa dos Santos. O presente trabalho teve por objetivo a avaliação de Modelos Digitais de Elevação (MDEs) para análise espacial de Bacias Hidrográficas (BHs), visando identificar os que apresentam melhor desempenho para a delimitação de bacias hidrográficas. Foram utilizados três tipos de fontes de dados de MDEs, sendo: a) MDEI: proveniente de dados do IBGE, obtido por meio do interpolador Topo To Raster do ArcGIS; b) MDEA: proveniente do sensor GDEM ASTER da National Aeronautics and Space Administration (NASA); e c) MDET: proveniente do projeto Topodata, resultante de um refinamento do SRTM realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE); todos com resolução espacial de 30 metros. Os MDEA e MDET foram adquiridos diretamente da internet. O MDEI foi elaborado a partir de dados cartográficos do IBGE, na escala de 1:50.000, contendo Curvas de Nível (CN) com equidistância vertical de 20 metros e hidrografia. Os MDEs foram utilizados em suas formas originais e refinados, visando a obtenção de MDEs com maior consistência hidrológica. Os MDEs originais (MDEI, MDEA e MDET) foram utilizados diretamente para a delimitação das BHs, usando a extensão ArcHydro (AH) no ArcGIS® 10.1, enquanto os MDEs refinados (MDEIr, MDEAr e MDETr) foram pré-processados usando o algoritmo Agree, para posterior delimitação das bacias utilizando o AH. Realizou-se uma delimitação de referência para fins de comparação com as delimitações automáticas obtidas com as seis opções de MDEs estudadas. A delimitação de referência foi realizada manualmente, em ambiente SIG (ArcGIS), utilizando as referidas cartas do IBGE, contendo CN, hidrografia e pontos cotados. A avaliação das delimitações foi realizada de forma qualitativa, por meio de análise visual, e de forma quantitativa, pelo método das áreas divergentes, ou seja, pelos acréscimos e decréscimos de áreas em relação à delimitação de referência. Foram comparadas também as Hidrografias Numéricas (HN) geradas com e sem refinamento, tendo-se comprovado a eficácia do algoritmo Agree, notando-se uma alta semelhança entre as hidrografias refinadas e a de referência. Na comparação das HN sem refinamento, verificou-se que a obtida do MDET apresentou melhor desempenho que a do MDEA, fato que contribuiu para uma melhor eficiência na delimitação das bacias. Das delimitações sem refinamento, a derivada do MDEI foi a que mais se aproximou da delimitação de referência, seguida pelo MDET e MDEA. Quando comparadas as delimitações dos MDEs refinados, o melhor foi o MDEIr; porém, a segunda e a terceira colocação se inverteram, sendo o MDEAr melhor que o MDETr. A consistência hidrológica relativa às alterações na delimitação de bacias pode ser melhor evidenciada quando analisada em microbacias localizadas no interior da bacia hidrográfica. Palavras-chave: Hidrografia, Sistemas de Informação Geográfica,Bacias hidrográficas - Delimitação.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5018
Appears in Collections:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_6820_Dissertação-Marcelo Dan.pdf10.42 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.